Este sábado vai ficar marcado pelo dérbi entre o Sporting e o Benfica. O técnico dos encarnados já deu os parabéns à equipa de Alvalade, mas garantiu que o Benfica não vai fazer guarda de honra aos leões.

Nuno Dias lembrou que Portugal é dos poucos clubes europeus com forte cultura desportiva em que essa tradição não existe. Para o comentador, ou os clubes chegam a acordo e passam a fazer guarda de honra a partir de uma época a ser determinada, ou “Jorge Jesus tem razão”.

Guarda de honra podia ser um bom exemplo numa altura em que o futebol está tão tumultuoso”, referiu.

Para Bruno Andrade, mais do que uma questão de “regras” e etiqueta futebolística, é uma questão de fairplay, até porque o técnico encarnado tem um passado nos leões.

Jorge Jesus conhece bem Rúben Amorim, já esteve no Sporting muito tempo. Não foi campeão nacional. Venceu títulos e deixou lá o seu legado. Aliás, este Sporting ainda tem um pouco de Jorge Jesus e dois outros treinadores que lá passaram. É natural", recordou.

No entanto, o comentador afasta a necessidade de criar uma polémica sobre o assunto.

Seria espetacular uma guarda de honra, mas não é por causa disso que deve ser criada uma polémica”, reforçou.

O técnico encarnado falou ainda sobre o regresso do público aos estádios. Jorge Jesus disse que gostava de ter público nas bancadas na final da Taça de Portugal contra o Sporting de Braga, considerando que tal seria “acabar em beleza” a competição.

Para Bruno Andrade, o público deveria estar presente no estádio “por uma questão de justiça e de fairplay” nas últimas duas jornadas, para que os clubes que ainda lutam para não descer tenham uma hipótese de jogar com público nos seus estádios.

Portugal merece pela forma como lidou com a pandemia. Não seria o terminar com a chave de ouro, mas trás um pouco de alento já a pensar na próxima temporada”, explicou.

Nuno Dias recordou a decisão de se disputar a final da Liga dos Campeões com público no estádio do Dragão, sublinhando que, se Portugal tem capacidade para realizar esse evento, também deveria ser possível fazer o mesmo em relação à final da Taça de Portugal.

Podemos pegar no que não correu bem na festa do Sporting para programar o que vai acontecer em Coimbra”, frisou.

Os acontecimentos que marcaram os festejos da vítória do campeonato do Sporting ainda dão que falar e as autoridades já estão a utilizar a experiência como aprendizagem para os próximos eventos. A PSP já fez saber que o dérbi deste sábado terá fortes constrangimentos de circulação nas imediações do Estádio da Luz, de forma a evitar o ajuntamento de adeptos.

Nuno Dias reforçou a ideia de que a segurança nestes jogos não pode depender exclusivamente do controlo das autoridades e afirmou que a segurança “começa em nós”.