Abriu a cortina da terceira jornada da Liga dos Campeões, e houve muitos portugueses em destaque no primeiro dia. Além da vitória do FC Porto sobre o Marselha, nota para as prestações de Diogo Jota e João Cancelo, que brilharam ao serviço das suas equipas.

No Estádio do Dragão, os azuis e brancos receberam a equipa de André Villas-Boas depois de uma derrota penosa por 3-2 em Paços de Ferreira. Com uma entrada forte, o FC Porto colocou-se em vantagem ainda antes dos cinco minutos. Corona ganhou um ressalto e aproveitou para assistir Marega, que assim fez as pazes com a baliza.

Aos 28 minutos foi a vez de Sérgio Oliveira marcar para os portistas, naquele que foi o terceiro jogo consecutivo do médio a marcar. Já depois do Marselha desperdiçar uma grande penalidade aos 10 minutos, o médio português mostrou a Payet como se faz, e fez o 2-0.

O FC Porto foi gerindo a vantagem, nunca permitindo grandes aproximações dos franceses. Com o jogo em ritmo de cruzeiro, um lance individual de Corona voltou a fazer a diferença. O mexicano bailou sobre a defesa adversária e deu o golo a Luis Díaz, que num remate bem colocado fez o terceiro dos dragões e o segundo da conta pessoal nesta edição da Liga dos Campeões, depois de também ter marcado ao City em Manchester.

Também em Itália se falou português, com Diogo Jota a confirmar o excelente arranque de época no Liverpool. Ganhou o lugar no onze a Roberto Firmino e aproveitou a aposta para marcar um hat-trick pelos reds, tornando-se no terceiro jogador português a conseguir tal feito na Champions.

O Liverpool acabou por passear em Bérgamo, perante uma Atalanta que nunca deu resposta e que saiu vergada a uma goleada por 5-0.

Em Manchester, e no outro jogo do grupo do FC Porto, os três portugueses do City começaram no banco. Bernardo Silva e João Cancelo acabaram por entrar ao minuto 82, e o lateral ainda foi a tempo de marcar o terceiro golo dos citizens. Do outro lado esteve um Olympiacos treinado por Pedro Martins, que alinhou com José Sá e Rúben Semedo no onze inicial e ainda fez entrar Pêpê e Bruma.

Depois de uma grande exibição na última jornada da liga milionária, João Félix esteve mais discreto na deslocação do Atlético de Madrid a Moscovo, para defrontar o Lokomotiv de Éder, que não saiu do banco.

Destaque ainda para a noite terrível do Shakhtar Donetsk de Luís Castro, que foi atropelado pelo Borussia Monchengladbach, que venceu por 6-0 na Ucrânia.

Pode ver todos os golos e melhores momentos nos vídeos associados ao artigo.

António Guimarães