O Benfica empatou esta quinta-feira com o Glasgow Rangers a três bolas a zero. Os encarnados estiveram a ganhar, mas depois de uma expulsão, chegaram mesmo a estar perder por três a um. No entanto, os pupilos de Jorge Jesus acabaram por conseguir recuperar e empatar o encontro a três bolas, já bem perto do apito final.

O Benfica esteve quase oitenta minutos a jogar com menos uma unidade. A equipa sentiu grandes dificuldades para controlar a manobra ofensiva da equipa escocesa. Para Rui Pedro Braz, essas dificuldades são, em grande parte, “por culpa do meio campo” encarnado.

“O Benfica tem gritantes dificuldades na transição defensiva. Taraabt é um jogador com grandes qualidades, mas na transição defensiva é um jogador pobre que oferece pouco à equipa”, sublinhou. “Weigl não é o seis que o Benfica precisa, Gabriel também não é o seis que o Benfica está a precisar”.

No entanto, o Benfica acabou por conseguir dar a volta. Para o comentador, o grande culpado foi o avançado urugaio Darwin Núñez.

“Praticamente sozinho, Darwin revolucionou o ataque do Benfica, com dois ou três jogadores que se recusaram a baixar os braços, como é o caso do Rafa”, acrescentou.

Já Nuno Dias destaca a manutenção da igualdade de pontos com o Glasgow Rangers, como o ponto mias positivo do jogo para os encarnados. No entanto, sublinha que “não é normal” ver uma equipa do Benfica sofrer três golos em dois jogos seguidos.

“Há muitas coisas que não estão a funcionar, do ponto de vista defensivo”, frisou Nuno Dias.

Rui Pedro Braz aponta aos muitos “problemas” que o Benfica tem no que toca à posição de lateral direito. Gilberto aparenta não estar a ter o rendimento esperado e “pode e dever dar mais”.

O comentador acredita que o Benfica vai atacar o mercado para reforçar a posição e promete “novidades” em breve nesse sentido.

Novo Rombo no Cova da Piedade

Na semana passada, o Cova da Piedade perdeu por falta de comparência frente ao Estoril, devido a um surto de covid-19 no plantel. Dos 16 atletas autorizados a treinar, oito deram positivo, seis negativos e dois inconclusivos.

Para Rui Pedro Braz, este é o tema “mais preocupante, mais grave” do futebol português e “ninguém quer saber”. “O Cova da Piedade tem, neste momento, apenas seis atletas para ir a jogo”, sublinhou.

O clube ia disputar um encontro com o Benfica B, no entanto, dirigentes encarnados já demonstraram disponibilidade para adiar o encontro, por uma questão de solidariedade.

Rui Pedro Braz relembrou que o futebol deve liderar pelo exemplo e não ser mais um motivo de preocupação para as autoridades de saúde.

“O futebol não pode ser encarado como mais uma preocupação para a DGS”, sublinhou. “O futebol devia estar a dar o exemplo ao demonstrar versatilidade.”

Amorim quer manter o primeiro lugar

O Sporting joga este sábado frente ao Vitória de Guimarães, o atual sexto classificado. O técnico dos leões, Rúben Amorim, afirma querer “que a equipa mantenha a intensidade” para poder “manter a posição”.

Nuno Dias enalteceu, mais uma vez, as palavras do treinador do Sporting nas conferências de imprensa. O comentador considerou que Amorim continua “muito consciente de alguém que sabe lidar muito bem com o balneário”.

O comentador sublinhou a capacidade que o treinador tem de abstrair a equipa dos bons resultados e das boas marcas individuais e manter o foco no próximo desafio.

“Rúben Amorim mantém o foco no que é importante”, considerou.

Pepe continua lesionado

O central luso-brasileiro continua lesionado e vai falhar a receção ao Portimonense. Apesar de tudo, Rui Pedro Braz recordou que o central poderá estar de volta a tempo de disputar o encontro da Liga dos Campeões.

O comentador sublinhou ainda que a dupla Malang Sarr e Mbemba deu boas respostas no encontro frente ao Marselha e poderá ser uma boa opção para o importante encontro da liga.

“A manter a condição física que tem, vai ser sem Pepe e mais dez”, afirmou o comentador da TVI.