Rui Pedro Braz acredita que a vitória do Sporting contra o Rosenborg foi determinante para aliviar um pouco a pressão, mas continua sem ser um triunfo de forma contundente, que permite à equipa e aos adeptos acreditar num futuro melhor. O comentador apontou as principais limitações dos verde e brancos, especialmente na transição defensiva, aspeto que Silas terá de melhorar.

Luís Vilar viu um Sporting que entrou em campo com mais posse, mais sereno e a mostrar mais qualidade no futebol praticado, mas que continua a precisa de trabalhar os processos defensivos, uma vez que apresentou sérias debilidades nos últimos 25 minutos. O comentador acredita que, frente a um adversário de maior valor, o Sporting poderia ter sofrido um golo no último quarto de hora. As transições defensivas são a maior limitação e o maior desafio para Silas daqui para a frente.

Nuno Dias defende que o Sporting já se apresenta em campo com uma ideia de jogo e considera que os primeiros minutos em campo foram muito bons, com a equipa a mostrar-se confiante e assertiva e a querer construir a partir de trás e a perceber que era importante impor o seu jogo. O comentador apontou, no entanto, as falhas defensivas, especialmente mais perto do final da partida, acrescentando que, com um adversário mais forte, o Sporting poderia ter sofrido um golo. Urge, pois, melhorar o setor defensivo.

Quanto aos lenços brancos que se viram em Alvalade, Luís Vilar acredita que os lenços brancos vistos em Alvalade não são direcionadas à equipa por causa da derrota no jogo de Alverca. O comentador considera que as claques estavam à espera de um deslize para começar a contestação a Frederico Varandas, acrescentando que os jogadores têm mais responsabilidade na eliminação da Taça de Portugal do que o presidente.

Quanto ao FC Porto, Luís Vilar confessou que esperava mais dos azuis e brancos na Liga Europa esta temporada, revelando que, se lhe tivessem dito no início da temporada que, ao fim de três jogos, dois deles em casa, e com este grupo, que o FC Porto teria apenas quatro pontos... não acreditava.

O comentador sublinhou que, da maneira que está o grupo, as quatro equipas estão na luta para seguir em frente. O FC Porto apostou no melhor onze, mas não funcionou como equipa. Foi previsível e sem rasgo e acabou por ser um bom momento individual de Luís Diaz que desbloqueou a partida. Luís Vilar lembrou que os azuis e brancos ainda vão a Glasgow e têm de jogar com o Young Boys, que são líderes no grupo, o que vai obrigar a uma preparação cuidada.

Rui Pedro Braz acredita que o FC Porto não conseguiu superiorirzar-se ao Rangers, apesar de se apresentar como favorito nesta partida. O comentador sublinha que os escoceses têm muita qualidade e que o FC Porto tanto podia ter ganho como perdido o jogo.

Uma palavra ainda para Steven Gerrard que, acredita, vai ser grande treinador e poderá mesmo suceder a Jurgen Klopp quando o alemão deixar Anfield Road.

Já Nuno Dias acredita FC Porto deve mais assim o empate frente ao Rangers, embora admita que pudesse até ter empatado ou perdido. O comentador espera que os azuis e brancos melhorem frente aos escoceses, em Glasgow, e contra o Young Boys, caso contrário correm o risco de não seguirem em frente na Liga Europa.