Quanto valia, antes do jogo, apostar numa casa de apostas que Alfa Semedo seria o herói encarnado em Atenas?

Certamente muito, mas depois do jogo valeu muito mais ao Benfica do que a qualquer apostador corajoso, já que o golo do médio permitiu aos encarnados encaixar 2,7 milhões de euros.

Os homens de Rui Vitória estavam há oito jogos consecutivos sem vencer e sem marcar na Liga dos Campeões e era imperativo ganhar esta terça-feira para alimentar o objetivo do apuramento.

Seferovic, o homem que tinha marcado o último golo do Benfica na Champions a 12 de setembro de 2017 frente ao CSKA de Moscovo, voltou a fazê-lo logo a abrir. Aos seis minutos, o suíço empurrou na recarga a um remate de Gedson Fernandes e fez o 0-1. O Benfica estava com a corda toda e aos 15 minutos, Grimaldo fez de cabeça o segundo

O Benfica passeava na Grécia, tudo parecia correr bem, mas o cenário de tragédia (já que o jogo foi em solo grego) pairou a partir do quarto minuto de desconto da primeira parte, quando Rúben Dias viu o segundo amarelo por uma entrada dura. E ainda antes, Odysseas se candidatava a figura do jogo.

O intervalo chegou, Rui Vitória teve tempo para organizar as suas tropas para uma segunda parte em inferioridade, mas tudo correu mal. Lema estreou-se e juntou-se a Conti na defesa, mas em 18 minutos, o AEK empatou o encontro. 

Os nove homens das águias estavam completamente desorientados e o terceiro do AEK ameaçava ser uma realidade. E atenção, digo nove homens porque Odysseas era o único a dar boa (muito boa por sinal!) conta de si. Brilhou em terras que bem conhece e salvou o Benfica uma e outra vez.

Rui Vitória tinha de mudar e quis segurar o jogo, colocando Alfa Semedo em campo. O médio estreou-se na Champions e, surpreendentemente, acabou por ser herói. Quem diria?

Arrancou sozinho aos 74 minutos e sem soluções de passe, pensou: "Cá vai disto". Resultado: 2-3 para o Benfica!

Depois foi segurar, 2,7 milhões de euros até ao fim.

No outro jogo do grupo, o Ajax levou um ponto de Munique e só não foram três por causa de Manuel Neuer. Defesa assombrosa em cima do apito final.

Bayern e Ajax com quatro pontos, Benfica com três e o AEK ainda sem pontos.

Lopetegui de joelhos e um Real que já ninguém se lembrava

Há uns anos, num programa televisivo, como mostra a imagem, Lopetegui desmaiou. Hoje, em Moscovo, esteve perto disso, mas ficou-se apenas pelo ajoelhar.

O Real Madrid perdeu na Liga dos Campeões, surpreendentemente, com o CSKA de Moscovo. Os merengues sofreram a abrir com um erro tremendo de Kroos e depois começou um festival de desperdício espanhol, com bolas nos ferros, que levou Lopetegui ao relvado.

Os espanhóis estão há três jogos sem ganhar (Sevilha e Atlético de Madrid no campeonato e agora CSKA) e sem marcar, algo que não acontece desde 2006/2007, quando Capello treinava o Real Madrid e Cristiano Ronaldo ainda estava a três anos de começar o legado merengue.

Lopetegui e os seus pupilos fizeram também com que o Real Madrid voltasse a ficar em branco na Champions, algo que não acontecia desde 2016, em jogo com o Manchester City.

Não está fácil para o Real Madrid, no pós-Ronaldo, e Keylor Navas admitiu isso mesmo: "Cristiano deixou o nível muito alto, não é segredo. Não se pode tapar o sol com um dedo, mas é passado e não se pode viver dele".

Assim, o CSKA lidera o grupo G com 4 pontos, à frente do Real Madrid e da Roma com 3 pontos. Os romanos golearam o Viktoria Plzen por 5-0 e somaram os primeiros pontos.

Mourinho empata sem marcar em casa, algo que não acontecia desde 2010/11

O Manchester United recebeu o Valencia e o jogo acabou como começou: sem golos. 

O dado mais palpitante deste encontro é que começou atrasado, tudo porque o trânsito prendeu o autocarro dos Red Devils e obrigou a um adiamento de... cinco minutos. 

Depois foi ver o Valencia assumir, rematar, mas não conseguir derrubar De Gea. O United atravessa uma má fase e voltou a não ganhar. Na Champions, este empate interrompeu uma série de 29 jogos consecutivos a marcar das equipas de Mourinho.

Foi a 27 de abril de 2011 que o Barcelona, de Pep Guardiola, foi a casa do Real Madrid, de Mourinho, vencer por 2-0 na meia-final da prova. Desde aí, Mourinho marcou sempre, mesmo nos sete jogos que não venceu.

Assim, lidera a Juventus que no outro jogo do grupo H bateu o Young Boys por 3-0 e soma duas vitórias em dois jogos.

Sem Ronaldo, castigado, e João Cancelo, suplente não utilizado, a Velha Senhora teve Dybala como figura da partida: três golos para o argentino.

Na próxima jornada, Ronaldo regressa do castigo e regressa a casa, a "Old Trafford" para enfrentar José Mourinho.

Paulo Fonseca teve tudo na mão, mas depois não soube o que fazer

No grupo F, o Shakthar, de Paulo Fonseca, foi a Lyon enfrentar a turma local, num duelo à porta fechada, por causa do mau comportamento dos franceses.

Não houve espectadores, mas golos não faltaram. Dois golos primeiro para os ucranianos, depois dois para os franceses em apenas dois minutos.

Junior Moraes bisou e colocou os pontos na mão dos ucranianos, mas como disse após o jogo o treinador português, a sua equipa não soube o que fazer. 

Tivemos uma vantagem de dois golos e tudo estava bem. Dominámos na primeira parte. Mas, no regresso dos balneários, tivemos problemas nos últimos trinta metros. Não sabíamos o que fazer, como reagir. E os dois golos do Lyon são merecidos".

Empate a duas bolas e sorriu o Manchester City, que somou os primeiros três pontos na prova ao vencer o Hoffenheim, e ganhou pontos a toda gente.

O Lyon lidera com 4 pontos, segue-se o Man City com 3, o Shakthar com 2 e o Hoffenheim com apenas um.

VEJA AQUI TODAS AS INCIDÊNCIAS DA NOITE