O programa Mais Bastidores desta terça-feira foi palco para os comentadores Nuno Dias e Rui Pedro Braz analisarem o processo judicial em que o presidente do Benfica está envolvido.

Em causa está o pagamento de um milhão e oitocentos mil euros a uma empresa fictícia. Dinheiro esse que saía do Benfica e depois entrava sem ser contabilizado para despesas correntes”, explica Nuno Dias, sublinhando que, ao contrário da Operação Lex, não há aqui “nenhuma vertente desportiva”.

 

A investigação foi entregue ao Ministério Público e não à Polícia Judiciária, o que leva Rui Pedro Braz a crer que existe apenas uma “desconfiança de fraude fiscal”. “Se esse for o caso, estamos a falar de pagar uma multa e a vida seguir com a normalidade possível”. 

Ainda assim, em ano de eleições, as acusações a Luís Filipe Vieira tornam mais complicada a sua reeleição. “São casos em cima de casos a juntar a um conjunto de anos de suspeições. Há uma neblina por cima de tudo isto que é preciso esclarecer”.

 

O Benfica entra esta terça-feira em campo contra um Vitória de Guimarães “com ambições europeias e que tem o plantel com a maior qualidade dos últimos anos”, afirma Rui Pedro Braz, sublinhando que tem tudo para ser um jogo equilibrado.

Há, no entanto, da parte do Benfica, uma vontade de impedir que o FC Porto festeje “no sofá” e “há uma necessidade de carimbar o segundo lugar e um lugar para a Liga dos Campeões”, diz o comentador, assumindo que o SLB tem duas hipóteses: ou chega à Taça de Portugal com um historial de vitórias, ou continua nesta sequência de resultados negativos e entra na final já derrotado”.

Com estes jogadores nunca se sabe, vamos ver se lhes apetece jogar à bola. Eu acho que tem mais a ver com a vontade deles do que com a capacidade”, diz Rui Pedro Braz.

  

Sobre o Porto ser declarado campeão no sofá caso o Benfica não consiga vencer, Rui Pedro Braz afirmou que o “sofá” não lhe diz nada. “Houve um percurso feito dentro do relvado que contou com muita dedicação e uma especial entrega de Sérgio Conceição”.

Acho que Conceição foi importante a impedir um relaxamento dos seus jogadores mesmo quando estavam a sete pontos do líder. O Porto teve sempre entrega abnegação e dedicação, foi algo que não foi visto nos jogos do Benfica”, afirma.

Já Nuno Dias acredita que os dragões são os campeões da regularidade. Até porque “não podemos que é um campeão de grande qualidade. Todos concordamos que a qualidade esteve muito abaixo da expectativa”.

Ainda assim, Rui Pedro Braz remata que Sérgio Conceição fez um trabalho brilhante e que é um treinador que deve ser “colocado no Museu do Dragão junto a nomes como Artur Jorge e Mourinho. Os seus feitos têm sido extraordinários em função das condições de trabalho que lhe foram oferecidas”.