Continua a subir de tom a polémica em torno da Superliga Europeia, que coloca contra a UEFA e contra a FIFA um grupo de 12 clubes, que pretendem criar um circuito fechado entre os maiores clubes europeus.

Esta terça-feira um tribunal de Madrid vai impedir as sanções contra os clubes que querem formar esta liga milionária. De acordo com a agência espanhola EFE, a medida, solicitada ainda na semana passada pela European Superleague Company SL, impede que a FIFA, a UEFA e todas as federações e ligas nacionais de adotarem medidas que visem proibir, restringir, limitar ou condicionar a realização da nova prova, bem como a participação de clubes.

Rui Pedro Braz sublinha que, no entanto, existe uma forte possibilidade de que os seis clubes ingleses possam “saltar fora do barco”, uma vez que estes poderão sentir-se “enganados” por Florentino Pérez e por Angnelli, os grandes obreiros do projeto.

O comentador da TVI relembrou o facto de muitos dos proprietários destes grandes clubes europeus serem estrangeiros e, em muitos casos, distantes da realidade e da mentalidade do adepto.

"Estamos a falar de uma realidade para a qual eles não estavam preparados. Os novos donos não estavam preparados para ver os adeptos a ir contra os seus próprios emblemas, porque eles não têm noção do que é o futebol em Inglaterra”, frisou.

Estes multimilionários megalómanos e mimados não têm a mínima noção do que é o futebol. Florentino Pérez e Agnelli podem ficar sozinhos com o bebé nas mãos”, reforçou.

Os comentadores da TVI sublinharam ainda o facto de Boris Johnson se ter demonstrado disponível para largar “uma bomba legislativa” para travar a criação desta Superliga Europeia. Rui Pedro Braz explica que esta situação só é possível devido ao facto de o Reino Unido ter saído da União Europeia, representando uma vitória para os britânicos.

Já Cândido Costa mostrou-se desanimado com a iniciativa tomada por estes clubes, sublinhando que tal coisa vai contra a sua essência e tudo aquilo que tentou transmitir aos seus filhos.

Isto é o futebol traduzido a dinheiro. Esta gente pensa de uma forma muito irracional”, rematou.

O que vai acontecer à Liga dos Campeões? Muitas dúvidas surgem em relação ao futuro de alguns clubes que pertencem o grupo de clubes que querem formar a Superliga Europeia, mas permanecem na maior competição da europa.

Rui Pedro Braz esclarece que, a curto prazo, nada deverá acontecer aos clubes envolvidos. Para justificar essa situação o comentador lembrou as afirmações do presidente da FIFA que garantiu que “ainda há tempo” para os clubes voltarem atrás.