Portugal perdeu com a Bélgica, por 1-0, este domingo, no Estádio de La Cartuja, em Espanha, e diz adeus ao Euro 2020. O único golo da partida foi marcado por Thorgan Hazard.

A primeira parte do jogo viu as duas equipas assumirem uma postura muito cautelosa, sem querer assumir riscos desnecessários e ser a primeira equipa a sofrer um golo. Portugal até teve a primeira grande ocasião do encontro, num contra-ataque rápido, com Renato Sanches a colocar a bola em Diogo Jota, que falhou o alvo com um remate muito torto.

Quando o 0-0 parecia estar perto de manter-se até ao final da primeira parte, surge um golaço da Bélgica, por Thorgan Hazard, aos 42 minutos. O médio rematou com muita força de fora da área, do lado esquerdo do ataque belga, sem qualquer hipótese para Rui Patrício.

Na segunda parte, a seleção das quinas entrou com vontade de virar o resultado, mas Ronaldo e companhia tiveram muitas dificuldades em destruir a muralha defensiva da Bélgica. Com o tempo a esgotar-se, Fernando Santos mexeu na equipa e apostou em João Félix, Bruno Fernandes, André Silva, Danilo Pereira e Sérgio Oliveira.

Diogo Jota voltou a ter nos pés a possibilidade de voltar a colocar Portugal dentro da competição, depois de uma grande arrancada de Cristiano Ronaldo pela direita, cruza rasteiro para o interior da área e Diogo Jota atira por cima e desperdiça uma grande oportunidade.

No entanto, foi preciso esperar pelos minutos finais da partida para ver as melhores ocasiões de perigo por parte de Portugal. Raphael Guerreiro esteve mesmo muito próximo de empatar o marcador com remate que terminou com estrondo no poste da Bélgica. 

Foi João Félix quem teve no pé a última grande oportunidade do encontro. Numa jogada que nasce de um grande corte de Danilo Pereira, o jovem avançado do Atlético Madrid rematou muito perto do poste direito de Courtois, após uma excelente combinação com André Silva.

Fernando Santos não esconde desilusão

No final do encontro, Fernando Santos não escondeu o desagrado sentido pela equipa técnica, tal como os jogadores, depois de ver chegar ao fim a epopeia lusa no Euro 2020. O selecionador nacional garante que desilusão, tristeza e lágrimas são o que predominam no balneário.

Estão os jogadores a chorar e estarão, com certeza, muitos portugueses a chorar. Estamos todos tristes e alguns dos jogadores estão a chorar na cabine, eles deram tudo o que tinham para dar e trabalharam muito", afirmou.

O selecionador nacional admitiu que, nos primeiros dez minutos, a equipa portuguesa entrou "um pouco atrás", mas que a partir desse momento, a sua equipa começou a criar oportunidades e apontou para a eficácia dos belgas como um fator crucial para o resultado final.

O futebol é isto. Eles fizeram seis remates e acertaram um na baliza. Nós fizemos 29 e acertámos duas vezes no poste. Uma derrota é uma derrota e, muito sinceramente, não tenho muitas palavras para dizer agora", resumiu o técnico na entrevista rápida no final do jogo.

Pior participação de Portugal em fases finais de Europeus

Nesta que é a oitava presença em Campeonatos da Europa, Portugal registou a pior participação de sempre. Nas sete anteriores campanhas, a Seleção Nacional chegou, pelo menos, aos quartos-de-final dos respetivos torneios. É importante sublinhar que em oito ocasiões o nosso país não esteve representado na fase final, a última já em 1992, há 29 anos.