O presidente da Associação de Ténis Feminino (WTA) expressou esta quinta-feira “crescente preocupação” relativamente à segurança de Peng Shuai, depois de a imprensa oficial chinesa ter difundido uma mensagem na qual a tenista garante “estar bem”.

No início do mês, Peng denunciou ter sido abusada sexualmente por um antigo vice-primeiro-ministro chinês, Zhang Gaoli, e, desde então, está desaparecida.

De acordo com a alegada mensagem enviada por Peng a Steve Simon, difundida agora na página da televisão estatal chinesa CGTN na rede social Twitter, a tenista garantiu estar “bem e a descansar”.

Não estou desaparecida. As alegações de abusos sexuais não são verdadeiras. Estou a descansar em casa e estou bem. Obrigado pela sua preocupação”, lê-se na mensagem atribuída a Peng.

Steve Simon afirmou, em comunicado, que a alegada carta divulgada pela CGTN apenas aumenta as preocupações sobre a segurança e o paradeiro de Peng.

É difícil acreditar que Peng Shuai escreveu aquela mensagem que recebemos ou que lhe pode ser atribuída. Peng revelou grande coragem ao descrever as alegações de abuso sexual contra um alto quadro do Governo chinês. A WTA e o resto do mundo precisam de obter evidência verificável de que ela está segura. Tentei contactá-la de várias maneiras, mas sem sucesso”, disse Simon.

O responsável acrescentou que Peng deve poder falar “livremente, sem coerção ou intimidação de qualquer espécie. A sua denúncia deve ser respeitada e investigada com total transparência e sem censura”.

As vozes das mulheres devem ser ouvidas e respeitadas e não censuradas”, defendeu.

/ PF