Jorge Jesus pressionou Luís Filipe Vieira e concretizou a contratação de um dos seus desejos para o eixo central da defesa encarnada. Lucas Veríssimo vai chegar em janeiro, num negócio que rondou 6,5 milhões de euros.

O Benfica chegou mesmo a estar perto de perder o central para o FC Porto no último dia do mercado, mas a pressão do técnico encarnado foi crucial para o desfecho da negociação.

Rui Pedro Braz sublinha, no entanto, que a entrada de Veríssimo no plantel do Benfica implica mexidas no centro da defesa. As águas têm cinco centrais e pelo menos estará de saída.

Pelo menos um terá de sair. Eu não estranharia se saíssem dois”, explicou o comentador da TVI24. “Ferro e Jardel, pelo menos um deles terá de sair.”

Jardel encontra-se no último ano de contrato e Ferro, por quem o Benfica terá recusado algumas propostas nesta janela de transferências, são os jogadores escolhidos para seguir o caminho inverso a Lucas Veríssimo.

Facundo Ferreyra vai ser avaliado por Jorge Jesus

Não fez parte da pré-época encarnada e não está integrado no plantel. O argentino Facundo Ferreyra vai tentar provar o seu valor a Jorge Jesus e demonstrar que a sua contratação não foi por acaso.

Rui Pedro Braz lembrou que o avançado, que chegou rotulado como “craque”, fez um início de época menos conseguido e foi classificado como “flop”, à semelhança de Raul de Tomas.

Ferreyra e Raul de Tomas e Darwin Núñez arrancaram sem golos. Parece que já vimos este filme”, afirmou Rui Pedro Braz. “Vamos ver se vai haver paciência para Darwin Núñez.”

Nuno Dias recordou a produtividade de Facundo Ferreyra ao serviço do Shakhtar, ao ter marcado 60 golos ao serviço dos ucranianos.

“Ferreyra é apenas e só um jogador que dá despesa ao Benfica”, explicou.

FC Porto recebe três jogadores no dia de fecho

O Futebol Clube do Porto viu chegar ao seu plantel três jogadores nas últimas 24 horas, provenientes de clubes da Premier League. Se analisarmos os últimos dias do mercado, esse número sobe para cinco, para todas as áreas do terreno.

Para Rui Pedro Braz, este é um “teste” à capacidade de liderança de Sérgio Conceição, que terá de integrar cinco jogadores novos no grupo de trabalho.

Sérgio Conceição tem um teste grande de integrar estes cinco jogadores”, afirmou. “Os adeptos do FC Porto têm de tirar o chapéu ao trabalho de Sérgio Conceição, porque é o grande obreiro do sucesso que o clube tem tido”.