Luís Filipe Menezes, Pedro Guerra e Manuel Serrão analisaram, no Prolongamento, a atualidade do Sporting.

Para Luís Filipe Menezes, o Sporting tem estado a ter um desempenho pouco competitivo quando comparado com a qualidade das equipas rivais.

 

 

O comentador disse ainda que  o Sporting tem a missão realistica de atingir o terceiro lugar e que os adeptos só têm uma solução: apoiar a equipa até ao fim da época.

O Manuel Serrão disse ainda que o capitão do Sporting desempenha o papel de patrocinador do clube, porque "quando ele for vendido dizem que o Sporting pode trazer quatro oou cinco jogadores".

 

No programa, os comentadores analisaram a vitória do Porto contra o Paços de Ferreira.

Manuel Serrão afirmou que o primeiro golo, marcado por Loum, concretiza na equipa do Porto mais uma dificuldade para Uribe, que vê o jogador a afirmar-se cada vez mais.

O comentador disse que o golo de Loum foi uma boa forma de começar o jogo que ficou marcado por um golo fantástico de Zé Luís. Porém, Manuel Serrão diz que o brilhantismo do golo vai passar despercebido na Europa.

Ainda alguém há de inventar alguma coisa", afirmou o comentador.

Luís Filipe Menezes defende que o golo foi dos melhores do campeonato até ao momento.

No entanto, Manuel Serrão lança duas questões que permanecem depois dos noventa minutos: porque é que Uribe não joga? Porque é que Luís Dias não sai do banco?

 

Os comentadores concordaram ainda que existiu um penálti não assinalado contra Otavio.

Para que é que serve o VAR? Com estes palhaços e desta maneira, para que é que serve o VAR? ", afirma Manuel Serrão, perguntando se o erro de arbitragem se deveu "a um atraso nas consultas do SNS de oftalmologia".

Pedro Guerra afirma que o penálti não foi bem assinalado, mas reitera que, no jogo contra o Portimão, o clube dos dragões foi beneficiado. 

Sobre se houve ou não mão de Pepe na grande área, Manuel Serrão afirma: "só  se ele tiver um braço abaixo da cintura".