Cristiano Ronaldo tornou-se esta quarta-feira no melhor marcador de sempre das seleções. Com os dois golos marcados à República da Irlanda, em jogo a contar para a qualificação para o Mundial de 2022, o craque português descolou de Ali Daei, a quem se tinha juntado depois de marcar dois golos à França no Euro 2020.

Cristiano Ronaldo recebeu prémio da Federação Portuguesa de Futebol

CR7 só precisava de um golo (ele e Ali Daei tinham 109), e a noite nem começou bem para o seu lado, o que pareceu ter afetado a seleção portuguesa. O recorde poderia ter sido batido logo aos 15 minutos de jogo, mas o agora jogador do Manchester United falhou uma grande penalidade.

A partir daí, Portugal entrou numa espiral negativa, que conheceu o ponto alto mesmo em cima do intervalo, quando John Egan gelou o Estádio do Algarve com o golo dos forasteiros.

O argumento é sempre a equipa, eu acreditava até ao fim, por isso é que pedi o apoio do público a dez minutos do fim. Quando não estamos a corresponder a ajuda do público é fundamental. Muito contente por bater o recorde e bisar, mas o mais importante é a equipa", diria Cristiano Ronaldo já depois do jogo.

Seguiu-se uma segunda parte de sentido único, com a Seleção à procura de pelo menos um golo, que só surgiu aos 89 minutos. O marcador, Cristiano Ronaldo, claro está. Aí, já o recorde do iraniano Ali Daei tinha sido batido, mas ninguém dentro do campo pensou na marca. Era preciso ir buscar a bola à baliza e pô-la de novo a rolar, para marcar o golo da vitória.

Sei que este é recorde é meu, estou extremamente feliz e é mais um para o museu", afirmou o jogador.

Esse mesmo tento apareceu ao sexto minuto da compensação, numa grande finalização de Cristiano Ronaldo, que fez deitar abaixo o estádio e todos os que estavam em casa a assistir.

Feitas as contas, Cristiano Ronaldo voltou a resolver as coisas para Portugal. De imediato, a Federação Portuguesa de Futebol fez referência ao feito do jogador, colocando um vídeo nas redes sociais.

 

Nota negativa da noite? A emoção do segundo golo foi tal que Cristiano Ronaldo tirou a camisola. Dessa forma, o português viu um cartão amarelo, o que o deixa fora do próximo jogo de qualificação, que se joga dia 7 de setembro no Azerbaijão. 

António Guimarães