Em Alvalade, o ambiente de festa no exterior do estádio, onde o Sporting-Boavista decorreu à porta fechada, ficou marcado por confrontos entre adeptos e polícia, ainda durante a primeira parte do jogo do título.

Pouco antes do final dos primeiros 45 minutos, a polícia carregou sobre a multidão, tendo, inclusive, disparado balas de borracha para conter os milhares de adeptos que se encontravam no local.

Um repórter da TVI foi atingido na perna por uma bala de borracha, mas encontra-se bem.

Vários objetos foram arremessados à polícia, como pedras e garrafas, que respondeu com balas de borracha. Arremesso esse que atingiu também adeptos.

Há registo de feridos entre os adeptos, ao que a TVI apurou no local, e pelo menos duas ambulâncias do INEM foram chamadas a Alvalade.

Tudo começou no final da primeira parte, após uma onda de fumo muito grande, quando os milhares de adeptos que se encontravam no exterior festejavam o primeiro golo.

Em declarações aos jornalistas, a PSP assumiu que, na sequência dos confrontos, decidiu repensar a saída do autocarro do Sporting.

O comissário da PSP Artur Serafim disse não ter conhecimento de feridos graves, apesar de confirmar "vários feridos", que "foram atingidos por garrafas e algumas pedras que foram arremessadas por alguns adeptos que se encontravam na parte superior".

Fruto desta situação, Artur Serafim deixou em aberto a possibilidade de o autocarro com os jogadores do Sporting não sair para os eventuais festejos.

Carimbada a conquista do título, a euforia junto ao estádio foi total.

Redação / CM