Rui Pedro Braz diz que este é um mau resultado, mas não é uma situação isolada que acaba por dar uma visão mais realista da situação em que o Sporting se encontra. O comentador elencou os objetivos internos a que o Sporting se propunha para esta temporada e que já falhou: Supertaça, Taça da Liga, Taça de Portugal e campeonato.

Na Supertaça, foi goleado pelo Benfica por 5-0; a continuidade na Taça da Liga é difícil, dada a conjetura no grupo em que está incluído; foi agora eliminado da Taça de Portugal pelo Alverca; e no campeonato está a 9 pontos do líder Famalicão e a oito dos rivais Benfica e FC Porto.

Ou seja, em meados de Outubro o Sporting já falhou todos os objetivos e terá agora de aposta na contenção de estragos, tentar ver que encaixes financeiros poderá fazer em janeiro com a venda de jogadores, lançar jogadores e apostar na campanha europeia.

Já Luís Vilar acredita que os sócios estavam à espera de um Sporting totalmente diferente daquele que se apresentou frente ao Alverca. O comentador acredita que o Sporting não aprendeu a mesma lição em dois anos: em tempo de crise não se gere a equipa e agora a situação tornou-se de tal forma complicada que vai ser difícil para a equipa aguentar a pressão dos adeptos.

Vilar lembrou que José Peserio geriu frente ao Estoril e deu-se mal e agora Silas geriu também a equipa, sem se perceber por que razão Bruno Fernandes não foi titular, depois de apenas ter jogado uma partida na Seleção Nacional. O comentador acrescenta que se tornou mais difícil agora valorizar jogadores sem palco.

Finalmente, Cândido Vilar considera que este é um dia terrível para o Sporting e a sua história, uma noite negra que vai ser lembrado durante muitos anos, num jogo que os leões tinham obrigação de vencer.

O comentador acredita que a linha que separa a qualidade do futebol da primeira liga do Campeonato Nacional de Séniores é ténue, defendendo mesmo que há jogadores do Alverca que podiam estar no Sporting e vice-versa.