O preço da água pode aumentar. Isto porque o Instituto Regulador das Águas e Resíduos já tem orientações para «ajustar» os actuais preços.

Durante a visita ao Pavilhão de Portugal no 5º Fórum Mundial da Água, o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Planeamento Regional, Francisco Nunes Correia, disse que os preços da água têm de ser corrigidos, faltando apenas saber «quem paga o quê», escreve a Lusa.

«O IRAR [Instituto Regulador das Águas e Resíduos] tem um conjunto de orientações que vamos impulsionar gradualmente no sentido de ajustar os valores a valores realistas», explicou.

Questionado sobre se essas «orientações» significam um aumento do preço para os consumidores, o governante disse que «não necessariamente, se houver entidades que se continuem a dispor a financiar esse custo, como está a acontecer».

Nunes Correia lembrou que, actualmente, «os municípios, estão a mobilizar parte importante do seu orçamento para custear a água».

«Têm o direito de o fazer, mas por essa via. Há outro tipo de serviços que não podem ser fornecidos ao cidadão», alertou, lembrando que «ou dos impostos dos portugueses ou do património dos municípios, esse custo será suportado», refere.

O ministro disse ainda que acredita em alguns casos «seria muito sensato que houvessem ajustamentos», afirmou, lembrando que «para o mesmo custo de produção», o custo da água de venda ao destinatário final pode variar de 1 para 100.
Redação / CPS