TVI24

À Flor da Pele: o amor

1

Jornalista Ana Candeias | Repórter de Imagem Emanuel Prezado, João Pedro Matoso, Luís Branco e Tiago Euzébio | Edição de Imagem Pedro Guedes | Grafismo David Pinto

 

O Amor, A Tristeza, A Felicidade, O Medo, A Amizade...de todos temos histórias e vivências.

Sobre todos temos, e conhecemos, experiências que nos tocam, memórias que fazem disparar o coração. Alguns são relatos que arrepiam, outros são momentos que emocionam. Quando falamos de amor ou de tristeza, quando partilhamos o medo ou a felicidade, quando celebramos a amizade, sentimos a vida flor à da pele.

Estas são histórias contadas na primeira pessoa. Testemunhos de quem aceitou partilhar a sua vida.

O que sentem os noivos no dia do casamento? O que une um casal há mais de 50 anos? O que procura quem é solteiro? O que guarda, em si, o homem que primeiro amou Deus e depois uma mulher? 

2
À Flor da Pele: Amor

REPORTAGEM NA ÍNTEGRA

Este é o Amor de Catarina e Eduardo, os noivos que sobem ao altar. O Amor de Joaquim. Do padre Joaquim. O amor infiel. O amor violento. O amor do João que ama o Filipe. O amor de Olinda, que durante anos não teve amor próprio. O amor de Damares, ainda em busca do “verdadeiro” amor, e o de Simeia, que amou à primeira vista.

3
À Flor da Pele: amor

Amor como em Casa

Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraído percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.


Manuel António Pina, in "Ainda não é o Fim nem o Princípio do Mundo. Calma é Apenas um Pouco Tarde"

 

Simeia & Farley

Para ela foi amor à primeira vista...para ele, o amor chegou com o tempo.
- “Amar o que não se conhece?”
- “Não é possível amar o que não se conhece”...
Farley conheceu e depois, só depois, amou Simeia.
Simeia decidiu amar aquele homem no dia em que o conheceu:
“O amor é uma decisão e eu decidi amá-lo a partir daquele momento”.
Simeia e Farley casaram e têm dois filhos:
“ - Amor? Amor é quando eu chego a casa!
 

4
À Flor da Pele: amor

A Mulher Mais Bonita do Mundo

estás tão bonita hoje. quando digo que nasceram
flores novas na terra do jardim, quero dizer
que estás bonita.
entro na casa, entro no quarto, abro o armário,
abro uma gaveta, abro uma caixa onde está o teu fio
de ouro.
entre os dedos, seguro o teu fino fio de ouro, como
se tocasse a pele do teu pescoço.
há o céu, a casa, o quarto, e tu estás dentro de mim.
estás tão bonita hoje.
os teus cabelos, a testa, os olhos, o nariz, os lábios.
estás dentro de algo que está dentro de todas as
coisas, a minha voz nomeia-te para descrever
a beleza.
os teus cabelos, a testa, os olhos, o nariz, os lábios.
de encontro ao silêncio, dentro do mundo,
estás tão bonita é aquilo que quero dizer.


José Luís Peixoto, in "A Casa, a Escuridão”

 

Catarina & Eduardo

Ela está vestida de branco, como todas as noivas, e no entanto, como ela só!

Ele foi namoradeiro, mas só Catarina o levou ao altar.

Ele conquistou-a quando ela não queria ser conquistada. Ela apaixonou-se e o mundo ficou mais bonito!

- “Ela tinha-me dito: - se eu não estiver como tu imaginaste, tu não digas que estou feia, diz só que estou diferente. Hoje, ela caminhou até mim e eu disse-lhe: - Estás linda!”

5
À Flor da Pele: amor

O Beijo Mata o Desejo

«Não te beijo e tenho ensejo
Para um beijo te roubar;
O beijo mata o desejo
E eu quero-te desejar.»

Porque te amo de verdade,
'stou louco por dar-te um beijo,
Mas contra a tua vontade
Não te beijo e tenho ensejo.

Sabendo que deves ter
Milhões deles p'ra me dar,
Teria que enlouquecer
Para um beijo te roubar.

E como em teus lábios puros,
Guardas tudo quanto almejo,
Doutros desejos futuros
O beijo mata o desejo.

Roubando um, mil te daria;
O que não posso é jurar
Que não te aborreceria,
E eu quero-te desejar!  
 

António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..."

 

Júlia & Adão

- “O primeiro beijo? O primeiro beijo não me lembro muito bem, mas já namorávamos  há uns seis meses, sim já namorávamos há seis meses”.

Júlia conheceu Adão no trabalho do campo.

Adão esperou por um beijo.Júlia cedeu ao ensejo.

Júlia tinha dezasseis anos e foi mulher de um homem só.

Adão foi homem de várias mulheres.

Júlia e Adão são companheiros há 60 anos…

Partilharam a intimidade, viveram segredos e mentiras.

Amaram. Amaram-se.

- “Nunca na minha vida me passou pela cabeça deixar esta senhora.

Sou homem, fazia vida por fora…mas nunca, num só momento, pensei trocá-la”.

Júlia ouve. Júlia cala.

- “O amor perdoa tudo?...

Júlia pensa. Júlia fala.

- “Sim, o amor perdoa tudo”.

6
À Flor da Pele: amor

Soneto do Amor Total

AMO-TE TANTO, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, como grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo, de repente
Hei-de morrer de amar mais do que pude.


Vinicius de Moraes, in 'O Operário em Construção'

 

João Paulo & Filipe

“- Era um dia cinzento, daqueles em que só falta cair-te um piano em cima”.

Foi nesse dia, na noite desse dia, que os dias de João mudaram para sempre.

Conheceram-se num bar. Trocaram olhares. Cruzaram conversas.

“- Nesse dia, não houve sexo”.

Nesse dia, houve afetos, confissões, uma imensa afinidade... nesse como em todos os outros depois desse.

Esse dia tem 20 anos. João Paulo ama Filipe. João casou com Filipe. João acredita num amor para toda a vida: “- De preferência, que morramos os dois ao mesmo tempo, porque ficar cá doi para caraças!...”

7
À Flor da Pele: amor

Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento


Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'Livro Sexto'

 

Joaquim & Conceição

Joaquim foi ordenado padre.

Amava Deus e sonhava abraçar o mundo.

Professou a fé,  divulgou a Palavra.

E na palavra Amor encontrou, um dia, um novo significado.

Joaquim ama Deus e uma mulher, a sua mulher.

“Fizemos o nosso compromisso pessoal perante os pais dela e o meu pai e aceitamos assim a nossa vida.”

Joaquim ama Deus e a família, a sua família. Não exerce o sacerdócio, mas não deixou de ser padre. É padre, marido e pai.

“- Nunca me senti um traidor. Nunca trai o amor de Deus”.
 

8
À Flor da Pele: amor

Para não Deixar de Amar-te Nunca

Saberás que não te amo e que te amo
pois que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem a sua metade de frio.

Amo-te para começar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.

Amo-te e não te amo como se tivesse
nas minhas mãos a chave da felicidade
e um incerto destino infeliz.

O meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.


Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor"

 

Damares

“Bem-me-quer; mal-me-quer”. Damares quer bem, muito bem, até! Já se apaixonou, flertou, gostou, mas ainda não encontrou aquele amor, o verdadeiro amor.

- “Às vezes penso que já passei tanto tempo solteira, se calhar é melhor ficar assim...”

“Amo-te, não te amo”. Damares teve paixões, momentos que fazem parte da vida. Sobra-lhe ainda a vontade. Sobra-lhe o desejo de alguém a quem se entregar por inteiro. “Eu vou encontrar o amor. Eu vou encontrar o amor da minha vida”.

9
À Flor da Pele: amor

As Sem Razões do Amor

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou de mais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.


Carlos Drummond de Andrade, in 'O Corpo'

 

 

Olinda & Gilberto

No amor de Olinda e Gilberto cabe toda a solidão.

No amor de Olinda e Gilberto cabe pouco amor próprio, cabe muita gratidão.

No amor de Olinda e Gilberto cabe um nada que é tudo.

Cabe a graça, cabe a dádiva. Cabe toda a união.

No amor de Olinda e Gilberto há partilha, há amizade.

Cabe toda a compaixão.

10
À Flor da Pele: amor

Não Posso Adiar o Amor

Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração


António Ramos Rosa, in "Viagem Através de uma Nebulosa"

 

Isabel & Ivam

Isabel não quis adiar o amor, mas o amor não lhe foi fácil. Na infância, na juventude, na idade adulta. Nunca foi fácil.

“- Na minha casa, eu não cresci com amor. Nunca tive um pai a dizer que gostava de mim. O meu pai tinha problemas de alcoolismo e era muito violento”.

Isabel quis libertar-se. Aos 16 anos saiu de casa. Foi viver com um homem 19 anos mais velho. Uma vez mais, o “amor” foi impiedoso. Violento. Possessivo.

Isabel sofreu. Chorou e um dia fugiu.

“Nesse dia, eu disse: eu quero ser feliz, vivi oito anos assim, eu mereço ter alguém que me faça feliz”.

Isabel não quis adiar o amor e encontrou-o no coração de um homem bom.  

Ana Candeias