TVI24

Sentinelas do mar

1
Berlenga Grande

 

Reportagem de Rui Araújo | Imagem de Valter Leite | Imagem de drone de Alexandre Vieira | Grafismo de Ricardo Nuno | Edição de imagem de Carlota Paim

 

Há uma ilha que era das gaivotas, das cagarras, dos borrelhos e de mais umas quantas aves marinhas… E do céu. É a Berlenga Grande. Fica a escassas milhas de Peniche e do Cabo Carvoeiro.

Antigamente, nada lá chegava. Nem a pneumónica lá chegou. O isolamento era tanto que se suicidaram três faroleiros. É, pelo menos, o que conta o escritor Raul Brandão, em 1919.

A TVI foi ver o que é, hoje, a Berlenga e a vida de faroleiro numa ilha mágica.

 

2
Repórter TVI: "Sentinelas do mar"

Repórter TVI: Sentinelas do mar

Veja aqui na íntegra.

3
Farol das Berlengas

Primeiro dia.

Primeiro registo.

Lá fora, a claridade some-se pouco a pouco. É quase a hora do poente.

Na sala esconsa a luz esmorece. E o silêncio é pesado. Só o sopro do vento chega até aqui. Mal.

O "Livro de Serviços - o Livro A" - o "Diário dos Faróis" é preenchido todos os dias.

É o momento de o faroleiro anotar a hora de acender e apagar os leds, o tempo de rotação, as condições atmosféricas, as avarias, os naufrágios (quando os há) e mais uma data de coisas.

Para o Diário dos Faróis ficam, por exemplo, operações de salvamento como estas.

13 de Agosto de 2018.

Um helicóptero de transporte médio Agusta-Westland EH-101 Merlin da Força Aérea portuguesa resgata um forasteiro com traumatismo da coluna cervical.

A aterragem do trimotor da Esquadra 7.5.1. "Pumas" ocorre mesmo ao lado do farol.

Os faroleiros Bento e Pacheco ajudam.

25 Setembro.

Mais um desastre com um turista. Mais um resgate…

O faroleiro Almeida (da Autoridade Marítima Nacional), apoia a operação.

4
Berlenga Grande

"Penso muito na família, nos amigos, na namorada, principalmente na namorada… Ah…. E há uns tempos a minha mãe esteve a lutar contra um cancro e foi uma das… dos momentos mais difíceis. Foi estar aqui na ilha e saber que a minha mãe em Almada estava a lutar contra um cancro, mas estava sempre a entrar em contacto com ela e saber como é que ela estava, como é que estava a reagir, mas graças a Deus já acabou o tratamento e tudo correu bem e hoje está com saúde e feliz e é o que interessa."

Depoimento do faroleiro Pedro de Sousa

5
Berlenga Grande

Sempre que é necessário, os faroleiros dão assistência ao pessoal da Divisão de Obras da Câmara Municipal de Peniche.

Os homens do farol fazem o que podem com o veículo de serviço: transportam funcionários camarários, cimento, pedras, entulho, a carga que houver... para arranjar o único caminho cimentado da ilha.

Os pescadores já não armam a valenciana e os coelhos e os ratos pretos - uma praga! - desapareceram.

Com as novas tecnologias o isolamento é, agora, menor.

Há luz dia e noite.

E a energia solar produzida aqui tem chegado para alimentar o farol e as instalações.

Quando os 40 painéis fotovoltaicos e as 24 baterias não forem suficientes, serão accionados os geradores a gasóleo.

A vida de  faroleiro na Berlenga mudou. E muito. Mas, mesmo assim, há memórias que restam, mais tristes do que empolgantes e que parecem penitência.

 

6
Berlenga Grande

A solidão do homem que caminha, ali adiante, no carreiro torto e escorregadio, é assaltada pelo vento e pelo mar.

O destino do faroleiro Pedro Monteiro é a falésia diante do ilhéu Maldito: águas batidas, um lugar piscoso.

Cai a tarde.

Partimos, pasmados ou deslumbrados com o espectáculo sem par.

Rui Araújo