O mercado de ciclomotores, motociclos, triciclos e quadriciclos em Portugal caiu 6,5% de janeiro a outubro, face ao período homólogo, para 28.643 veículos, segundo dados divulgados hoje pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Em outubro, a queda homóloga foi de 10,7%, tendo sido matriculados 2.387 veículos novos de duas rodas, triciclos e quadriciclos.

Por tipos de veículos, o mercado de ciclomotores novos matriculados pelos representantes oficiais das marcas totalizou 130 unidades em outubro, uma redução de 24% face ao mês homólogo de 2019.

Já nos dez primeiros meses do ano, foram matriculados 1.588 ciclomotores, um decréscimo de 13,6% relativamente a igual período do ano anterior.

Por sua vez, os motociclos de cilindrada até 125 centímetros cúbicos (cm3) registaram, em outubro, uma queda homóloga de 16,7% para 1.124, e um decréscimo de 3,3% para 14.276 entre janeiro e outubro.

Os motociclos de cilindrada superior a 125 cm3 registaram em outubro uma queda de 0,3% para 1.034 e, em termos acumulados, até outubro, as matrículas deste tipo de veículos totalizaram 11.928, o que se traduziu numa queda homóloga de 8,4%.

O mercado de triciclos foi o único a registar aumentos, de 64,3% em outubro face a igual mês do ano passado, para 23 unidades matriculadas, e de 14,6% entre janeiro e outubro, para 188 veículos.

Já o mercado de quadriciclos caiu 24,8% em outubro em comparação com o mês homologo, tendo sido matriculados 76 veículos deste tipo.

De janeiro a outubro de 2020, as matrículas de quadriciclos caíram 23,5%, para 663 quadriciclos.

/ AM