O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, avançou, esta quinta-feira, no parlamento, que o Produto Interno Bruto (PIB) português deverá registar um “comportamento dinâmico” no segundo trimestre e até uma possível aceleração.

O comportamento da economia foi muito forte. Tivemos uma aceleração do crescimento do PIB no primeiro trimestre. Os dados que já temos disponíveis antecipam um comportamento dinâmico e provavelmente até uma aceleração, relativamente ao trimestre anterior”, assegurou Pedro Siza Vieira, numa audição parlamentar na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

De acordo com o governante, esta projeção baseia-se num conjunto de indicadores, recolhidos até à data, com comportamento positivo.

O emprego continua forte com os níveis mais altos desde algumas décadas e a taxa de desemprego voltou a baixar”, apontou.

Por outro lado, o nível de cobrança de impostos, relacionados com o crescimento da economia, “tem estado a subir bem” e o investimento encontra-se em “níveis muito fortes”, o que demonstra a “confiança dos vários setores”, como a indústria, construção civil e serviços.

Adicionalmente, o turismo também tem apresentado resultados positivos.

São dados fortes que nos mostram que a economia continua a crescer”, vincou.

O PIB português aumentou 1,8% no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos, acima dos 1,7% do trimestre anterior, e subiu 0,5% em cadeia, conforme indicou, em maio, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nas Contas Nacionais Trimestrais, o INE confirmou os valores para o crescimento da economia portuguesa que tinha avançado na estimativa rápida publicada em 15 de maio.

No último trimestre do ano passado, a economia portuguesa tinha crescido 1,7% em termos homólogos e 0,4% em cadeia.