Os ministros das Finanças e Economia do Eurogrupo apoiaram o parecer da Comissão Europeia sobre o Orçamento de Estado de Itália para 2019, considerado uma "violação particularmente grave" das regras da comunidade.

"Apoiamos a Comissão na sua avaliação e recomendamos que a Itália tome as medidas necessárias para cumprir o Pacto de Estabilidade e Crescimento" (PEC), disseram na segunda-feira à noite os ministros das Finanças da zona euro, numa reunião do grupo, em Bruxelas.

O Eurogrupo expressou ainda apoio ao diálogo entre a Comissão Europeia e as autoridades italianas para encontrar uma solução para o impasse.

O comissário dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, esclareceu que o executivo comunitário recomendou a abertura de um procedimento por défice excessivo a Itália, com base na dívida, e está a preparar eventuais decisões caso o governo liderado por Giuseppe Conte mantenha a sua intransigência.

“Temos de preparar as decisões, o que não significa que as tomemos”, sublinhou.

Pierre Moscovici, que falava à entrada para a reunião do Eurogrupo em Bruxelas, disse ter notado uma mudança de tom no Governo de Itália, que abriu a porta a um “verdadeiro diálogo” sobre o plano orçamental italiano para 2019.

Em 21 de novembro e em 23 de outubro, a Comissão Europeia rejeitou o orçamento italiano para 2019, ao considerar que a proposta contém um risco "particularmente grave de incumprimento", e recomendou a abertura de um procedimento por défice excessivo com base na dívida.

Uma conferência de imprensa do presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, do comissário europeu Moscovici e do presidente do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, inicialmente agendada para o fim das negociações, está agora marcada as 08:45 (07:45 em Lisboa), uma vez que a reunião dos responsáveis da zona euro se prolongou por cerca de 12 horas.