A TAP avançou esta sexta-feira que 690 trabalhadores aderiram ao programa voluntário de medidas laborais, sendo 70% referentes a rescisões por mútuo acordo.

Num comunicado interno a que a TVI teve acesso, "ainda que permaneçam alguns casos em análise", a TAP  adianta que houve "cerca de 690 adesões ao programa voluntário de medidas laborais, sendo 70% referentes a rescisões por mútuo acordo, 14% a trabalho em tempo parcial, 8% a passagens à situação de reforma, 6% a pré-reformas e 3% a licenças sem retribuição".

Por outro lado, a companhia indica que a implementação das medidas decorrentes dos Acordos de Emergência celebrados, permitirá preservar até 750 postos de trabalho.

Os Acordos de Emergência, celebrados com todos os Sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, criaram as condições para, num clima de entendimento laboral, se prosseguir o cumprimento dos objetivos do Plano de Reestruturação de ajustamento da estrutura de custos e da otimização da força de trabalho, reconfigurando o quadro de pessoal a fim de o mesmo dar resposta aos níveis de operação e receita projetados, no curto e médio prazo", pode ler-se no comunicado.

Em síntese, o programa de Medidas Voluntárias e a implementação dos Acordos de Emergência celebrados permite ajustar e reduzir o número inicial de redimensionamento, inscrito no Plano de Reestruturação em aprovação na Comissão Europeia, de cerca de 2.000 para um número entre 490 a 600 trabalhadores, à data de hoje.
 
 

Vasco Rosendo