O Governo quer que, ainda nesta legislatura, seja possível conciliar trabalho a tempo parcial com reforma parcial, dando também dessa forma incentivos às empresas para que contratem desempregados, diminuindo assim os números do desemprego.

O mecanismo de funcionamento desta medida, segundo notícia o Público, consiste numa troca parcial de trabalhadores por parte dos empresários, sem que isso signifique aumento da massa salarial das empresas.

Com este programa será possível um trabalhador mais velho entrar num regime de reforma parcial e trabalhar apenas a tempo parcial. Este novo estatuto laboral não é uma entrada na reforma, nem qualquer forma de reforma antecipada. É tão-só uma forma de trabalho parcial, em que o Estado paga ao trabalhar o montante salarial que este perde ao passar a trabalhador a tempo parcial.

A Segurança Social será responsável pelo pagamento da verba do salário dos trabalhadores nesse regime que deixará de ser paga pelas empresas. Mas com esse valor salarial poupado, as empresas comprometem-se a contratar um jovem que esteja no desemprego.