Já reparou nos custos da sua conta à ordem e da sua conta-ordenado? A Deco acaba de alertar para as comissões cada vez mais elevadas na primeira e para a perda de vantagens na segunda.

Um estudo realizado pela Associação de Defesa do Consumidor concluiu que as tradicionais isenções desapareceram mesmo nas contas-ordenado de grandes bancos.

Os bancos passaram a encarar as contas-ordenado como a nova galinha poedeira, capaz de lhes render um fluxo ininterrupto de ovos de ouro".

É assim mesmo que caracteriza a edição de março da revista Dinheiro & Direitos, que admite que a recomendação que dava anteriormente aos seus associados de domiciliarem o ordenado como forma de pouparem em custos bancários deixou, em muitos casos, de fazer sentido.

Dá mesmo o exemplo do Deutsche Bank, Novo Banco e Santander Totta, que "acabaram com as contas-ordenado". Em substituição, propõem contas-pack, que implicam um conjunto de serviços que muitas vezes não compensa ao cliente.

Veja também: