O Governo quer que os pais com filhos até 8 anos possam decidir ficar em teletrabalho, sempre que as funções o permitam e mesmo que a empresa não concorde.

Segundo a TSF, esta é uma das propostas entregues pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social aos parceiros sociais (sindicatos e confederações patronais), no âmbito de um plano para promover o "trabalho digno" e na sequência da discussão do Livro Verde sobre o Futuro do Trabalho.

A opção pelo teletrabalho poderá ser ainda alargada a quem tenha filhos com deficiência ou doença crónica.

Outra das propostas é que avós, tios e irmãos também possam receber, em certos casos, a licença parental que até agora só pode ser atribuída ao pai e à mãe.

Da mesma forma, o Governo quer aperfeiçoar o regime de licenças de parentalidade para promover a "igualdade entre mulheres e homens", através de, por exemplo, um reforço dos incentivos à partilha entre pais e mães destas licenças, majorando os subsídios.

Redação / MJC