Vem aí uma nova greve na TAP. O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) emitiu um pré-aviso e a paralisação versará sobre todo o trabalho extraordinário. Começa já em junho, a partir do dia 3, e prolonga-se até 1 de outubro.

A luta foi decidida pelo sindicato que representa os trabalhadores da segurança e do handling nos aeroportos, depois de uma reunião insatisfatória com a administração da TAP para discutir a proposta entregue em dezembro de revisão salarial para 2017.

O SITAVA recebeu como resposta a esta importante questão um pedido para ‘ter paciência”.

É o que se lê no documento enviado ao conselho de administração da TAP, datado de 19 de maio, e a que a agência Lusa teve acesso.

O sindicato, que já tinha prometido “aquecer” o verão com greves caso as suas reivindicações não fossem ouvidas, decidiu assim emitir o pré-aviso de greve “ao trabalho suplementar prestado em dia útil, em dia de feriado, em dia de descanso semanal obrigatório e em dia de descanso semanal complementar”.

Também ao “trabalho em prolongamento no regime de modulação de horário e à alteração do horário” nos termos do acordo de empresa.

A última greve da segurança nos aeroportos ocorreu há uma semana, e durou cinco dias. Teve uma adesão de cerca de 60%, segundo o mesmo sindicato.