O Conselho de Administração da TAP anunciou esta sexta-feira recorrer ao lay-off clássico com efeito a partir do dia 1 de março, podendo prolongar-se até durante doze meses.

De acordo com um e-mail enviado aos trabalhadores esta sexta-feira, e a que a TVI24 teve acesso, a adesão ao regime de lay-off "não resultará numa redução de remuneração".

Todos os trabalhadores da transportadora aérea serão informados individualmente sobre a modalidade que lhes será aplicada.

Ao que a TVI24 apurou, todos os trabalhadores vão poder aderir a este regime.

São muitos e muitos duros os sacrifícios que todos temos de fazer para fazer face a esta crise e assegurar a sustentabilidade e viabilidade da TAP, de modo a que possamos vir a devolver à economia portuguesa e aos seus trabalhadores todo o apoio prestado", escreve o Conselho de Administração.

Este regime de lay-off, sendo similar, tem algumas regras diferentes das medidas às quais recorreram de abril a novembro de 2020. Sobre estas diferenças, sobretudo no âmbito da sua aplicação e execução prática, a TAP diz que irá dando conta à medida que for avançando neste processo.

Assim, “para o mês de março de 2021, todos os trabalhadores da TAP estarão abrangidos por uma redução de horário de trabalho numa determinada percentagem: (1) na generalidade das áreas Terra a percentagem será de redução em 25%, apenas com uma única exceção que terá uma redução horária menor; (2) enquanto que no caso do PN [pessoal navegante, ou seja de cabine e cockpit] a redução horária está completamente relacionada com os planeamentos já efetuados; ou seja, cada tripulante terá uma redução horária diferente em função do planeamento já por si conhecido e divulgado”, lê-se na mesma nota.

A companhia anunciou ainda que “cada trabalhador será informado amanhã [sábado], dia 27 de fevereiro, da sua situação concreta em termos do regime/modalidade que lhe será aplicado”.

Esta sexta-feira, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) aprovaram os acordos de emergência na companhia.