O valor das compras com cartão caiu 8,7% em julho, em termos homólogos, segundo o Banco de Portugal, que considerou um sinal de progressivo regresso à normalidade depois das quebras significativas desde o início da pandemia.

Segundo a informação divulgada esta segunda-feira pelo banco central, em julho, enquanto o valor das compras com cartões internacionais caiu 59,9% face ao mesmo mês de 2019, já nas compras com cartões nacionais subiu, ainda que uns ligeiros 0,7%.

Em julho de 2020, com o progressivo regresso à normalidade, assistiu-se a um retomar da atividade económica e a uma maior utilização dos cartões de pagamento, embora inferior à verificada no mesmo período do ano passado”, considera o Banco de Portugal na informação divulgada.

Já os dados registados entre 10 e 23 de agosto indicam que, nesse período, as compras nacionais com cartão apresentaram, pela primeira vez desde o início da pandemia, taxas de variação homólogas positivas, de 8% em média.

As compras com cartões representaram em julho mais de metade (53,5%) do número total de operações com cartões em Portugal e 37,5% do valor movimentado.

Nos levantamentos de dinheiro com cartão, em julho houve uma queda de 12,1% no valor face ao mesmo mês do ano passado. Contudo, refere o Banco de Portugal, é “de notar que, em abril de 2020, o valor dos levantamentos de numerário tinha registado o montante mais baixo dos últimos 20 anos, com uma redução em termos homólogos de 40,3%”.

Enquanto os levantamentos feitos com cartões estrangeiros caíram 43,7%, já os feitos com cartões por nacionais caíram menos, 9,3%.

Estes números sugerem, assim, que a retoma da atividade económica tem sido, em grande parte, impulsionada pela procura nacional”, segundo o Banco de Portugal.

Já a realização de transferências, de depósitos e de pagamentos de serviços com cartão aumentou em julho face ao mês homólogo de 2019 (0,9%, 32,7% e 0,3%, respetivamente).

Sobre o aumento do valor das transferências (ainda que uns ligeiros 0,9%), o Banco de Portugal atribui à maior utilização de aplicações ('app') de pagamento no telemóvel para transferências de dinheiro.

Por setores, enquanto as compras com cartão subiram em termos homólogos no comércio a retalho (4%), veículos automóveis e motociclos (10%), atividades relacionadas com saúde (7%), atividades postais (9%) e as atividades veterinárias (21%), caíram sobretudo nas atividades relacionadas com o turismo (alojamento e restauração, 58% e 26%, respetivamente).

Nos setores, as compras com cartão baixaram nos produtos petrolíferos (-15%), administração pública (-57%), educação (-56%), outras atividades de serviços pessoais (-12%) e comércio por grosso (-1%).

/ AG