Diz o ditado que quem paga adianto fica mal servido. Pode não ficar, mas deve ter cuidado.

Se vai fazer obras em casa, antes de qualquer sinal, deve pedir um orçamento. Ou vários. É o que faz quando compra produtos. Compara preços.

Outra vantagem do orçamento é ficar a saber exatamente o que vai pagar pelo o serviço que lhe vão prestar.

O orçamento é vinculativo se estiver escrito, e caso o aceite.

Por norma, também é gratuito, se o consumidor não for informado antes que tem de o pagar.

É no orçamento que deve estar fixado, por exemplo:

- preço

- forma e prazo de pagamento

- tempo de execução do trabalho

É também no orçamento que deve estar descrito o que as partes acordaram como adiantamento. O chamado sinal. Atenção que não é obrigatório por lei. Por isso, manda a prudência que avalie bem a situação e dê um sinal pequeno. Se quem lhe presta o serviço não cumprir deve devolver o dobro do sinal. Se a falha for sua pode perder o que pagou.

Para evitar perder algo, informe-se bem.

A Direção Geral do Consumo tem uma linha aberta para onde pode telefonar ou enviar um email a pedir informações ou reclamar.

Na câmara municipal da área em que reside também podem saber como ajudá-lo, através do Serviço Municipal de Informação e Apoio ao Consumidor dou de um similar. Este serviços existem para prestar informação e apoio aos consumidores sobre temas de consumo, encaminhando os interessados para as entidades competentes.

Deixe as suas sugestões de temas em aconteceaosmelhores@tvi.pt.

Alda Martins