Os tripulantes de cabine da SATA começam esta quinta-feira uma greve de dois dias. É a segunda paralisação no espaço de um mês.

A SATA enviou uma mensagem aos passageiros a alertar para os constrangimentos da greve. Dá aos clientes a possibilidade de alterar a viagem ou pedir o reembolso do bilhete sem custos.

Nestes dois dias, serão assegurados os serviços mínimos. Garantidos apenas alguns voos entre Lisboa e os Açores e também entre as ilhas do arquipélago.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), que diz que "a insatisfação nunca foi tão grande".

O incumprimento de vários pontos do clausulado do acordo de empresa e a reivindicação de melhores condições de trabalho são as razões que levaram os trabalhadores a tomar novamente esta decisão 

Na semana passada, a companhia açoriana alertou os passageiros para o pré-aviso de greve, informando da possibilidade de alteração da viagem ou do reembolso da mesma, ao mesmo tempo que indicava quais os voos incluídos nos serviços mínimos.

Na sequência do pré-aviso de greve, efetuado pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, para os dias 1 e 2 de junho, dos tripulantes de cabine da Azores Airlines e SATA Air Açores, o grupo SATA informa que todos os passageiros com voos nestas datas poderão alterar a sua viagem ou pedir o reembolso do seu bilhete, sem custos adicionais, junto dos canais de venda habituais”.

No caso da SATA Internacional, que assegura as ligações aéreas de e para fora do arquipélago, estão garantidos os voos com origem em Lisboa e destino em Santa Maria e Horta, e o respetivo regresso à capital, hoje, quinta-feira, 1 de junho. Amanhã, sexta-feira, estão contempladas nos serviços mínimos as ligações Lisboa-Horta e Horta-Lisboa.

Já na SATA Air Açores, responsável pelos voos inter-ilhas, nos dois dias de paralisação estão garantidos voos nas nove ilhas do arquipélago.

Seis voos cancelados

A greve dos tripulantes levou ao cancelamento de seis voos, disse à agência Lusa o porta-voz da empresa, António Portugal.

Em termos de greve na SATA Air Açores [que assegura as ligações nas nove ilhas dos Açores], foram canceladas as ligações Ponta Delgada-Pico-Ponta Delgada”, informou António Portugal, referindo que o voo Terceira-Ponta Delgada foi realizado.

Quanto à Azores Airlines, que faz os voos de e para fora do arquipélago, as ligações Porto-Ponta Delgada-Porto e Terceira-Porto-Terceira foram canceladas, sendo que “o voo de serviço mínimo Lisboa-Horta-Lisboa já saiu”, referiu o porta-voz da companhia esta manhã.

Segundo António Portugal, o voo Lisboa-Ponta Delgada não se realizou “por falta de passageiros, devido à reacomodação feita antecipadamente” na sequência do pré-aviso de greve, o mesmo sucedendo com a ligação Ponta Delgada-Frankfurt.

A ligação Ponta Delgada-Santa Maria da SATA Air Açores vai também ser realizada, mas atrasámos o voo porque vamos levar os passageiros chegados de Boston, Estados Unidos da América, que têm como destino final Lisboa, de forma a fazerem Santa Maria-Lisboa”, adiantou o representante.

O responsável referiu que na Azores Airlines a adesão à greve “está na ordem dos 70%”, remetendo para mais tarde dados sobre a adesão na Sata Air Açores.

Não há muita gente em terra, posso dizer que não existem mais de 20 passageiros no aeroporto de Ponta Delgada para voos da SATA”, referiu, em declarações à Lusa, pelas 09:00 (mais uma hora em Lisboa).

Em maio, a greve deixou em terra mais de 1.300 passageiros, com o sindicato a afirmar que se registou uma adesão de 100%, número diferente do avançado pelo grupo SATA (66,9%).