"À última hora, o Governo que tinha sido chumbado na Assembleia, que era minoritário e que estava em gestão, autorizou o Estado a responsabilizar-se pela dívida que os compradores não conseguiram assumir, de 766,7 milhões de euros, sem ter a prévia autorização da AR"