“O tráfego acumulado à data de 31 de maio é superior ao previsto em 2014 e as perspetivas de evolução para o verão IATA indiciam um desempenho no segundo semestre que irá acentuar ainda mais esta tendência”, lê-se na decisão da gestora aeroportuária.


"Esta decisão tarifária está em linha com o já ocorrido em 2014 e evitará avolumar o valor das taxas não cobradas às companhias aéreas, a recuperar dois anos mais tarde, e promove uma evolução tarifária mais estável das taxas entre 2015 e 2016, ao mesmo tempo que mantém suficiente margem de segurança para absorver, caso ocorra, qualquer abrandamento no ritmo de crescimento de tráfego daqueles aeroportos", acrescenta.