«Os mais fantásticos» que passaram pela Casa Branca. Foi assim que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, classificou os sapatos da marca portuguesa Swear, que esta semana conta com uma área reservada na feira de calçado de Milão, MICAM.

Obama reparou nos sapatos da Swear quando foram usados por um activista dos direitos homossexuais num evento realizado na Casa Branca, em Washington. Segundo o director de vendas da marca de Guimarães, Jorge Sampaio, os sapatos, com reflexos prateados, conquistaram a atenção do presidente dos EUA que ter-se-á dirigido ao activista para lhe dizer qualquer coisa como: «Esses são os sapatos mais fantásticos que alguma vez vi nesta casa».

Clique na imagem para ver alguns modelos da Swear

O modelo em causa terá sido um dos pares de sapatos que contribuíram para a facturação de 6,3 milhões de euros que o grupo Calzeus obteve em 2009, graças à comercialização de cinco marcas: a Swear, a B Store, a Ksubi, a Open Ceremony e a Sufice 2 Air.

Esse valor reflecte, contudo, uma quebra de 30% em relação aos nove milhões de euros facturados em 2008. Para Jorge Sampaio, este resultado foi um «efeito da recessão e da perda de valor da libra», o que é particularmente significativo considerando que as vendas da marca têm particular expressão no mercado inglês.

Ainda assim, o director de vendas desta marca realça que 40% do volume de negócios do grupo Calzeus se deve à marca elogiada por Obama, que «reinventa clássicos» como os modelos Oxford e Derbie, usando para o efeito «materiais muitas vezes importados de Itália» e solas que prescindem do couro para que o preço final do produto «se fique pelos 100 a 150 euros».

A feira de calçado de Milão conta com dez pavilhões, um dos quais está reservado a 40 designers internacionais convidados especificamente para o efeito. Nesta área exclusiva está a portuguesa Swear.