Uma maioria dos gregos rejeita o plano de recuperação económica imposto pela União Europeia e o FMI e quer que as próximas eleições levem ao poder um governo de coligação, segundo sondagens publicadas este sábado pela imprensa grega.

Uma sondagem da empresa MRB indica que 26,2 por cento dos inquiridos tencionam votar num partido que seja contra o plano de austeridade imposto como contrapartida dos empréstimos internacionais ao país.

Para 66 por cento, a Grécia deve continuar na zona euro mas fazer um plano alternativo de recuperação económica, contra 13,2 por cento que defendem que o país deve sair da zona euro.

A maioria dos inquiridos nesta sondagem, publicada pelo jornal «As Verdadeiras Informações», fazem uma avaliação negativa do governo do primeiro-ministro Lucas Papademos, uma coligação de socialistas e conservadores que pediu um novo empréstimo internacional e procedeu a uma reestruturação da dívida em março.

Mais de 65 por cento dos inquiridos pensa que um governo de coligação tem mais condições para ultrapassar as dificuldades que o país atravessa.

Uma outra sondagem, feita pela empresa Pulse para o diário Eleftheros Typos apresenta resultados semelhantes, com 64 por cento de inquiridos favoráveis a um governo de coligação.

O líder do partido conservador, Antonis Samaras, recusou a ideia de voltar a coligar-se com os socialistas.

As eleições legislativas gregas estão previstas para 6 de maio.