O secretário-geral do PS desafiou este sábado o primeiro-ministro a «dar a cara», a assumir responsabilidades e a explicar as «novas medidas de austeridade» que surgiram «de uma semana para a outra».

«É bom que o primeiro-ministro não se esconda» e explique aos portugueses o «que é que está a correr mal, qual a razão de tantas medidas de austeridade de um momento para o outro», afirmou Seguro, citado pela Lusa, após uma reunião com autarcas do partido em Mangualde.

«Não sei o que é que o Governo esconde, mas tem vindo, nos últimos dias, a anunciar novas medidas de austeridade, como a suspensão das reforças antecipadas, nova taxa sobre alimentos, prolongamento sem limite da eliminação do subsídio de férias e de natal dos funcionários públicos, e agora, sem se saber de onde nem como, surge num jornal esta proposta do aumento da reforma para os 67 anos», detalhou, ainda antes desta última ser afastada por Pedro Mota Soares.

«Esta proposta não consta do memorando da troika, não consta do programa eleitoral do PSD e do CDS e não consta do programa do governo. O primeiro-ministro que explique, que dê a cara, que assuma a responsabilidade e diga o que é que na sua receita está a correr mal para de uma semana para a outra venha com novas medidas de austeridade», apontou.
Redação / CPS