A popularidade da chanceler Angela Merkel entre os alemães atingiu esta semana o nível mais alto desde que a coligação de centro-direita chegou ao poder, em outubro de 2009, na sondagem semanal do Instituto Forsa, divulgada esta quarta-feira. E outra sondagem revela que mais de metade dos franceses pensa que Berlim quer dominar a Europa.

Na escala de zero (muito mau) a 100 (muito bom), utilizada por aquele barómetro de opinião, Angela Merkel atingiu 64 pontos, deixando para trás os outros dois políticos alemães com maior popularidade no momento e seus potenciais rivais na corrida à chancelaria federal em 2013, o ex-ministro das finanças Peer Steinbrueck e o ex-ministro dos negócios estrangeiros Frank-Walter Steinmeier, ambos sociais-democratas, que lograram 56 pontos.

Os alemães têm apreciado, sobretudo, a forma como a dirigente democrata-cristã tem gerido a crise das dívidas soberanas na zona euro, segundo a maioria dos analistas.

Philipp Roesler, líder dos liberais do FDP, um das forças que compõem o governo federal, não passou dos 31 pontos e o seu partido obteve apenas três por cento das intenções de voto, na mesma sondagem.

Quanto aos democratas-cristãos, mantiveram-se nos 38 por cento que já tinham obtido no inquérito da Forsa da semana anterior, seguidos pelos sociais-democratas, com 26 por cento (mais um por cento), e dos Verdes, com 14 por cento (menos um por cento).

Os neocomunistas do Die Linke igualaram o resultado da semana passada, com oito por cento, e os Piratas, o novo partido no firmamento político alemão, desceram um ponto percentual, para os sete por cento, o que significa que, se houvesse agora eleições gerais, teriam lugar garantido no parlamento federal.

O Instituto Forsa realizou a sondagem representativa a 1001 inquiridos, entre 22 e 23 de fevereiro, por encomenda do canal privado de televisão RTL e do semanário Stern.
Redação / CPS