O primeiro-ministro, António Costa, assegurou esta quarta-feira que o Governo está disponível para acolher as melhorias que “outros partidos queiram ainda introduzir” no Orçamento do Estado para 2021, manifestando abertura para negociar até á votação final global.

Durante a conferência de imprensa do Conselho de Ministros de hoje, António Costa foi questionado sobre o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), que foi entregue esta semana no parlamento, mas cujo sentido de voto da maioria dos partidos ainda se desconhece.

O Governo sempre disse que está obviamente disponível para negociar até à votação final global as medidas que permitam melhorar o orçamento. É isso que fizemos”, sublinhou.

De acordo com o primeiro-ministro, “o que é essencial das propostas” que foram apresentadas ao Governo “constam da proposta de lei do orçamento”.

É natural que outros partidos queiram ainda introduzir melhorias no orçamento. Estamos disponíveis obviamente para que isso aconteça”, assegurou.

O objetivo do Governo, de acordo com António Costa, é “dotar o país de um orçamento que permita em 2021 ter as condições, económicas e financeiras, para enfrentar a pandemia, mas também responder à crise económica e social que o país está a viver já”.

Creio que este orçamento responde àquilo que é fundamental para o país, responde à necessidade de garantir que não há qualquer retrocesso nos avanços sociais que o país alcançou desde 2015, responde à necessidade de apoiar o crescimento económico e a proteção do emprego, avança na proteção social e dos rendimentos das famílias e permite dar combate à pandemia, proteger as pessoas e apoiar a economia e o emprego”, defendeu, considerando que se trata de “um bom orçamento”.

/ CE