O juiz Ivo Rosa anulou as medidas de coação que obrigavam dois dos arguidos do caso EDP, António Mexia e Manso Neto, a pagar um milhão de euros cada um. 

Os dois ex-presidentes da EDP e EDP Renováveis aguardavam há várias semanas pela decisão, uma vez que todas as outras medidas de coação já tinham caído, devido a prazo expirado. 

No despacho a que a TVI teve acesso, pode ler-se que o magistrado considerou que deixaram de existir as razões para manter esta medida. 

Os dois arguidos ficam agora apenas com termo de identidade e residência. 

António Mexia e Manso Neto são suspeitos de corrupção para obter rendas favoráveis à emrpesa.