Uma petição contra as rendas altas em Lisboa contava já com mais de 5.000 assinaturas, ao início da manhã desta quarta-feira.

O documento vai ser enviado ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Os promotores da petição pretendem ainda enviá-la ao primeiro-ministro, ao presidente da Assembleia da República e ao presidente da Câmara de Lisboa.

Os preços das rendas elevados têm sido alvo de alguma indignação nas redes sociais. Nunca foi tão caro viver no centro de Lisboa, sendo que os preços também têm disparado no Porto.

“Os estudantes pagam quartos de 350€. Os jovens deixam as suas cidades à procura de trabalho, e de facto acham oportunidades, mas não acham casa compatível com os ordenados, o ordenado mínimo é 557€ e as rendas das casas rondam os 600/700€. E muitos dos senhorios não passam recibos! Aonde estão as fiscalizações?”, questiona a petição.

O objetivo é solicitar ao governo a inspeção das rendas praticadas na capital para um maior controlo.

A petição pede ainda que haja uma lei que iguale os valores das rendas em conformidade com o ordenado mínimo.

A Câmara de Lisboa lançou um programa de arrendamento low cost, que vai na 14ª edição, com candidaturas a decorrer até 8 de junho. Mas só há 24 casas a concurso, com tipologias T1 e T3.