«Teve a ver com o âmbito da definição do mesmo: se devia incorporar ou não análise daquilo que eram as responsabilidades individuais de cada membro ou dos membros dos órgãos sociais». A PT entendeu que «essas diferenças não deviam constar no relatório». A versão final apresenta «só factos, uma análise factual, não incorporando juízos de valor, de ordem jurídica, não englobando considerações sobre a PT»

«Houve da nossa parte uma interpretação um bocado extensiva do objetivo daquele ponto e, possivelmente, até foi abusiva. A definição dos termos de um trabalho como este é feito entre cliente e fornecedor». O cliente julgou necessário «retirar aquilo que nunca lá devia ter estado». O relatório «não passou a incluir juízos de valor que, volto a referir, valeriam, que eram de uma entidade jurídica»









«clima de tensão» e «desconforto» em relação aos poderes excessivamente concentrados em Ricardo Salgadoa PwC informou o Banco de Portugal