«O Governo nunca aprovou nem decidiu a elaboração de qualquer lista de constribuintes. Consequentemente, o Governo nunca entregou à Autoridade Tributária qualquer lista de contribuintes. O Governo nunca viu qualquer tipo de instrução à Autoridade Tributária para a elaboração da lista de contribuintes VIP. E quero-vos dizer que, na sequência de uma solicitação minha, o diretor-geral da AT informou-me, em fevereiro de 2015, que não existia qualquer tipo de lista de contribuintes, nem nunca tinha existido. Nesta segunda-feira, fui informado pelo diretor-geral da AT que, apesar das coisas serem assim, houve procedimentos internos e propostas no âmbito da AT sobre esta matéria, sem que, jamais, o Governo tenha tido conhecimento dessa questão ou o Governo tenha sido informado. Decidi logo na segunda-feira, quando fui informado pelo Sr. Diretor-geral, solicitar à IGF a abertura de um inquérito para averiguar da existência, ou não, da alegada lista de contribuintes», disse Paulo Núncio.




demissão do responsável máximo da Autoridade Tributáriamaioriaoposiçãoo primeiro-ministro

«Estou totalmente disponível para ir ao parlamento no mais curto espaço de tempo no sentido de prestar todos os esclarecimentos que se considerem necessários».


O pedido acabou por ser aceite e esta sexta-feira o secretário de Estado vai mesmo ser ouvido no Parlamento.

Ministério das Finanças solicitou na segunda-feira à Inspeção-Geral de Finanças (IGF) a abertura de um inquérito

«Este inquérito, a realizar pela IGF, enquanto entidade externa da AT, destina-se a realizar o apuramento de todos os factos relativos a este assunto», referia uma nota de imprensa emitida pelo Ministério das Finanças.