A easyJet diz que, por enquanto, os voos da companhia entre Portugal e Itália não estão afetadas e que está a acompanhar o evoluir da situação no norte de Itália, onde o Covid-19 já matou 14 pessoas e infetou pelo menos 400.

A easyJet emitiu hoje um comunicado a alertar para a possibilidade de cancelamento de alguns voos de e para Itália, após ter registado um abrandamento da procura e da taxa de ocupação destas ligações aéreas.

Contactada pela agência Lusa, cerca das 08:30, fonte da companhia aérea britânica de baixo custo disse que o comunicado de hoje serve de alerta para um eventual cancelamento de voos de e para Itália, mas esclareceu que, por enquanto, as ligações com Portugal não estão abrangidas.

A nota foi emitida porque a empresa está cotada na bolsa e porque está a ser vivida uma situação anómala no norte de Itália, onde a empresa tem uma boa parte das suas operações, adianta a fonte.

Em relação às ligações da easyJet com Itália a partir de outros aeroportos europeus, a mesma fonte disse que a companhia ainda não identificou voos a cancelar nem quando é que tal poderá vir a acontecer.

Numa nota divulgada hoje, a easyJet explica que registou um abrandamento na procura e na taxa de ocupação dos voos para as bases no norte de Itália.

Para diminuir o impacto do Covid-19 nas contas da companhia, a easyJet adianta estar empenhada numa “gestão de eficiência operacional e de controlo de custos em diversas áreas do negócio”, que inclui cortes nas áreas administrativas, congelamento do recrutamento, promoções e aumentos salariais, oferta de licenças não remuneradas e interrupção de formações não obrigatórias e a realocação de aviões para o verão de 2020.

Estamos também a registar um abrandamento na procura nos restantes mercados europeus onde operamos. Como resultado, iremos cancelar alguns voos, principalmente os que entram e saem de Itália, enquanto continuaremos a monitorizar a situação, adaptando o nosso plano de voos para corresponder à procura do mercado”, refere a companhia área de baixo custo.

A empresa admite que ainda é cedo para determinar qual será o impacto do surto do Covid-19 para os negócios das companhias aéreas e do turismo e esclarece que continuará atenta a todos os desenvolvimentos, atualizando a informação junto de todos os mercados, sempre que se justifique.

A easyJet está a trabalhar em estreita colaboração com as autoridades e a seguir as diretrizes fornecidas pela Organização Mundial da Saúde e pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação para garantir a saúde e o bem-estar dos nossos colaboradores e clientes”, afirma a companhia, lembrando que tem um grupo de trabalho multidisciplinar que reúne diariamente para garantir a eficácia de todos os processos e políticas da empresa.

O novo coronavírus (Covid-19), detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou pelo menos 2.858 mortos e infetou mais de 83 mil pessoas, de acordo com dados reportados por meia centena de países e territórios.

Das pessoas infetadas, mais de 36 mil recuperaram.

Além de 2.788 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Japão, Filipinas, Hong Kong e Taiwan. Na Europa, o Covid-19 já provocou mortes em Itália e França.

Dois portugueses tripulantes de um navio de cruzeiros encontram-se hospitalizados no Japão, um dos quais com confirmação de infeção e o outro por indícios relacionados com o novo coronavírus.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.

/ BC - atualizada às 09:00