O BPI teve lucros de 6,3 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, menos 87% em termos homólogos, segundo informação hoje divulgada, comportamento que o banco atribui à crise desencadeada pela pandemia da Covid-19.

O resultado consolidado é inferior em 87% em relação ao do primeiro trimestre de 2019 devido ao impacto de fatores relacionados com a crise da pandemia de Covid-19, nomeadamente, queda nos mercados financeiros e reforço de imparidades para fazer face a impactos futuros que, em conjunto, tiveram um impacto negativo de 47 milhões de euros no resultado antes de impostos", lê-se no comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Dos impactos negativos, acrescentou o banco, 32 milhões de euros são reforço de "imparidades de crédito no contexto Covid-19", para fazer face a impactos futuros da crise na sua carteira de crédito.

O BPI anunciou hoje, ao início da manhã, que o Conselho de Administração do banco escolheu o atual administrador João Pedro Oliveira e Costa para novo presidente executivo, sucedendo ao espanhol Pablo Forero, que se vai reformar.

A eleição de João Pedro Oliveira e Costa apenas se irá concretizar "depois da necessária aprovação das autoridades de supervisão", acrescentou o banco.

Pablo Forero é presidente executivo do BPI desde inícios de 2017, quando substituiu Fernando Ulrich (que passou a presidente do Conselho de Administração, chairman) após o sucesso da Oferta Pública de Aquisição (OPA) do CaixaBank sobre o BPI, o grupo espanhol que hoje controla todo o banco.

/ Publicado por ALM