“A designação do Governador é feita por resolução do Conselho de Ministros, sob proposta do ministro das Finanças e após audição por parte da comissão competente da Assembleia da República, que deve elaborar o respetivo relatório descritivo”, lê-se na lei hoje publicada em Diário da república, citada pela Lusa.


“O provimento dos membros do Conselho de Administração deve procurar, tendencialmente, a representação mínima de 33% de cada género”, acrescenta o diploma.




“O mandato do senhor governador deverá terminar em junho deste ano. O Governo não deixará oportunamente de tomar uma decisão quanto ao próximo governador do Banco de Portugal, é uma questão que será objeto de uma decisão do próprio Governo, que deverá merecer audiência parlamentar e que depois será confirmada pelo próprio Governo”, afirmou Pedro Passos Coelho.