Os bancos portugueses emprestaram 919 milhões de euros em crédito à habitação em fevereiro, mais 25% do que os 733 milhões de euros emprestados em igual período do ano passado.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal, o valor apurado para fevereiro deste ano é menor do que os 977 milhões de euros concedidos em janeiro.

Contabilizando os dois primeiros meses do ano, a atribuição de crédito para a compra de casa somou os 1,896 mil milhões de euros, com o financiamento para a compra de casa a registar o arranque de ano mais acelerado desde 2008.

No crédito ao consumo, em fevereiro, foram concedidos 469 milhões de euros, mais nove milhões de euros do que em janeiro e mais 104 milhões de euros do que no mesmo mês de 2019.

Nos empréstimos às famílias com outros fins, o valor concedido alcançou os 248 milhões de euros, em fevereiro, acima dos 238 milhões verificados no mês anterior.

Face aos 163 milhões registados em fevereiro do ano passado, o crescimento do crédito concedido com essa finalidade foi de mais de 52%.

Em fevereiro, a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras foi de 2,14% (2,30% em janeiro).

A taxa de juro das operações acima de um milhão de euros foi de 1,75% (1,88% em janeiro) e a das operações abaixo de um milhão de euros de 2,49% (2,59% em janeiro), aumentando o diferencial entre as duas taxas face ao mês anterior.

Nas novas operações de crédito a particulares para habitação, a taxa de juro média diminuiu um ponto base para 1,06%.

No crédito ao consumo e para outros fins, as taxas de juro médias foram, respetivamente, de 6,84% e 3,88%, que comparam com 6,95% e 3,80%, registados em janeiro.

/ Publicado por ALM