O BPI perdeu no final do ano passado 218 trabalhadores e 55 agências de atendimento ao público face a 2019, num processo natural "sem nenhum programa por detrás definido", de acordo com o presidente executivo do banco.

De acordo com o comunicado de apresentação de resultados do banco (lucro de 104,8 milhões de euros em 2020), o BPI fechou o ano com 4.622 trabalhadores, menos 218 que em 2019.

Quanto a agências, no total o BPI terminou o ano com 422, das quais 360 balcões (menos 46 que em 2019), 27 centros 'premier' (menos nove que em 2019), mantendo um balcão móvel e 34 centros de empresa e institucionais face ao ano anterior.

De acordo com o presidente executivo do BPI, João Pedro Oliveira e Costa, as mudanças ocorrem "sem nenhum programa por detrás definido".

O responsável do BPI referiu que o banco "tem mantido uma disponibilidade para o diálogo com os colaboradores que pretendem que a sua vida profissional tenha outro rumo".

Na apresentação de resultados, o banco assinalou que 25 milhões de euros de impactos não recorrentes do BPI dizem respeito a 147 reformas antecipadas e rescisões voluntárias no quarto trimestre de 2020.

O BPI registou lucros de 104,8 milhões de euros em 2020, uma descida de 68% face aos 327,9 milhões de euros registados em 2019, divulgou hoje o banco.

/ MJC