Em Espanha, as grandes empresas do Ibex 35, entre as quais bancos, elétricas e operadoras, estão a unir esforços para ajudar a saúde pública no combate à pandemia de Covid-19, que já fez mais de 4.000 mortos no país.

Só os bancos BBVA e Santander, a elétrica Iberdrola, a operadora Telefónica e a têxtil Inditex já doaram 150 milhões de euros. Mas a cada dia há mais empresas a juntarem-se a esta iniciativa privada, que está a ser desenvolvida com as autoridades de saúde de modo a encaminhar o dinheiro para o que faz falta neste momento.

Em Portugal, é conhecida apenas a solidariedade de Cristiano Ronaldo e do seu agente Jorge Mendes, que, juntos, vão financiar três unidades de cuidados intensivos nos hospitais Santa Maria, em Lisboa, e Santo António, no Porto.

De acordo com a imprensa espanhola, apesar de as empresas estarem juntas num esforço de coordenação, para que não se dupliquem esforços, são livres para decidir quanto vale o seu contributo e a que se destina.

Por exemplo, a Inditex, proprietárias de marcas como a Zara, dada a sua experiência em termos de logística, será responsável pela abertura de canais comerciais desde a China.

O Santander já anunciou que os seus 25 milhões de euros vão servir não só as autoridades de saúde como a investigação científica. O BBVA espera poder entregar ainda esta semana material sanitário que foi comprar à China, concretamente 1.043 ventiladores e 400.000 máscaras. O transporte será feito através da Inditex. O BBVA está também a tentar comprar testes de despistagem da Covid-19 e mais equipamento de proteção individual para os profissionais de saúde.

O Abanca foi o terceiro banco a juntar-se à iniciativa, desta feita comprando 150 unidades de cuidados intensivos para a Galiza, que chegarão aos serviços de saúde galegos na próxima semana.

Quanto às operadoras de telecomunicações, a MásMóvil vai doar um milhão de máscaras e vai entregar 2.000 telemóveis Samsung, em colaboração com o gigante sul-coreano, e outros tantos cartões SIM aos hospitais de Madrid, além de 400 routers. Já a Orange vai distribuir pelas mesmas unidades de saúde da capital, a mais afetada pela pandemia, 2.200 tablets com ligação à internet.

A Vodafone tem em curso várias iniciativas, como um plano de pagamento a fornecedores em 15 dias para injetar liquidez em pequenas e médias empresas, às quais também são oferecidos dados ilimitados. A empresa oferece, ainda, 600 refeições diárias a organizações como o banco alimentar e lares de idosos, mantendo abertas as cozinhas da sua sede.

A plataforma de transporte Cabify doou 25.000 embalagens de água engarrafada ao hospital de campanha instalado na Feira de Madrid.


 

/ CM