O número de beneficiários de prestações de desemprego cresceu 40,3% em novembro, face ao período homólogo, e 2,3% em comparação com outubro, para 228.215, de acordo com as estatísticas mensais da Segurança Social.

Em novembro de 2020 registaram-se 228.215 prestações de desemprego, revelando um acréscimo de 2,3% face ao mês anterior e de 40,3% tendo em conta novembro de 2019 (neste total não estão incluídas as prorrogações das prestações de desemprego)”, lê-se no documento.

No mês em causa, o número de beneficiários do subsídio de desemprego fixou-se em 194.012, mais 2,1% face a outubro e mais 41,7% em comparação com novembro do ano anterior.

Por sua vez, o subsídio social de desemprego inicial incluiu 9.717 pessoas, o que se traduziu numa descida de 0,7% em relação ao mês anterior e numa progressão de 80,5% face a novembro de 2019.

Já o subsídio social de desemprego subsequente abrangeu 24.044 pessoas, no mês de referência, uma subida de 5,9% face a outubro e de 23,5% em comparação com o período homólogo.

Apesar de, neste período, continuarem a registar-se subidas em todos os grupos etários, destacam-se os grupos mais jovens, nomeadamente, com 24 ao menos anos (111,6%), entre os 25 e os 34 anos (74,5%), entre os 35 e os 44 anos (44,3%) e entre os 45 e os 54 anos (33,6%).

Número de subsídios por doença sobe 37% em novembro para 219.922

O número de subsídios por doença registou um aumento mensal de 28,8% e de 37,2% face ao período homólogo para 219.922, de acordo com as estatísticas mensais da Segurança Social.

Verificou-se um acréscimo mensal de 28,8% no número de subsídios por doença, em novembro de 2020 (mais 49.231), o que resulta num total de 219.922 subsídios”, segundo o documento.

Em relação ao período homólogo, a progressão foi de 37,2% (mais 59.664), o que se traduz em aumentos de 32,5% no sexo feminino e 44,4% no masculino.

Conforme precisou a Segurança Social, este número inclui baixas por contágio pelo novo coronavírus, bem como o subsídio por isolamento profilático agrupado com o subsídio por tuberculose.

Do total, 57,9% são mulheres (127.242) e 42,1% são homens (92.680).

No grupo “outras doenças”, em novembro, a subida mensal foi de 6% para 153.787 subsídios.

Já no grupo “tuberculose, isolamento profilático e doença covid”, o aumento foi de 154%, em relação a outubro, para 72.235 beneficiários.

/ DA