Ricardo Salgado vai ser ouvido na comissão de inquérito ao BES





«(...) em 23 de julho e 27 de novembro do presente ano, foram realizadas diligências de buscas nos processos-crime «Monte Branco» e «Universo Espírito Santo», em que sou visado (...). É igualmente público que, no âmbito das referidas diligências, o meu domicílio pessoal e os espaços que utilizei (e utilizo) para fins profissionais foram objeto de buscas, tendo toda a documentação relativa às reuniões do Conselho Superior do Grupo Espírito Santo que tinha na minha posse sido apreendida. Consequentemente, os objetos apreendidos passaram a integrar os aludidos processos judiciais, que se encontram em fase de inquérito e aos quais foi aplicado o segredo de justiça»


não sentiu qualquer «hostilidade» por parte do BES e da ESFG nas inspeções presenciaisA próxima audição, já esta quinta-feira, também de uma técnica do Banco de Portugal, foi cancelada