É mais uma moda consumista importada dos Estados Unidos, mas a verdade é que se podem fazer bons negócios.

A Black Friday nasceu a terra do "Tio Sam" como estratégia para as lojas escoarem os stocks e prepararem a chegada dos produtos e novidades do Natal. E foi dessa necessidade que surgiram os grandes descontos/ promoções na última sexta-feira de novembro. Em Portugal, o conceito tanto é usado na forma original de promoção de um dia só, como se estende por mais alguns dias. Antes ou depois da já famosa sexta-feira.

Se planeia aproveitar as oportunidades da Black Friday para fazer algumas compras deve preparar-se antes de visitar as lojas ou encomendar online. A Deco está atenta e a jurista Rosário Tereso esteve no espaço da Economia 24 do "Diário da Manhã". Da conversa ficam as dicas para as suas compras de este final de semana.

1. Prepare, pesquise preços e recolha informação

Se já sabe os produtos estarão em promoção, será mais fácil confirmar se são boas oportunidades. Procure obter este tipo de informação assinando as newsletters das lojas que mais lhe interessam, ou seguindo-os com mais atenção nas redes sociais. Para as lojas online, a Deco disponibiliza o comparador. Comparar Preços 

O comparador  ajuda a perceber se os descontos anunciados em épocas como a Black Friday são boas oportunidades porque a ferramenta de pesquisa regista a evolução dos preços dos produtos nas lojas online ao longo dos últimos dias, para aconselhar ou não a sua compra.

Basta pesquisar o nome da loja e do produto, ou, mais simples ainda, inserir na caixa “Pesquisa pelo URL” o link completo do produto tal como surge na loja online. O resultado devolvido é um semáforo com três cores e significados diferentes, baseados no histórico de preços dos últimos 7 e 30 dias:

  - verde, caso se trate de um bom negócio face ao histórico de preços do produto na loja pesquisada;

  - amarelo, para produtos cujos preços atuais exibam pouca diferença em relação aos 30 dias precedentes;

 -  vermelho, quando a compra é desaconselhada porque o preço do produto já esteve mais baixo.

O veredicto surge acompanhado por informação sobre a evolução dos preços registada nos últimos 7 dias, 1 mês e 3 meses.

Alguns vendedores propõem-se a igualar os preços mais baixos do mercado caso os consumidores lhes apresentem provas da prática de preços mais baixos, nos mesmos produtos, por outras lojas. Verifique se alguma loja anuncia este tipo de campanha, pois poderá permitir-lhe fazer boa parte das compras num só lugar.

2. Caso planeie comprar em lojas online, registe-se como utilizador alguns dias antes da Black Friday. A grande afluência a estes websites em dias de promoções pode dificultar o processo de compra, tornando-o mais lento.

Também é útil listar os retalhistas que vendem os produtos que lhe interessam a bons preços. Assim, se um website falhar ou uma loja esgotar o stock, poderá recorrer ao seguinte da lista.

É fundamental guardar os comprovativos, até para exercer direitos no âmbito da garantia.

3. Verifique a qualidade dos produtos

Os produtos em promoção podem prometer muito e cumprir pouco. Informe-se e leia sobre aqueles que lhe interessam, pois podem não corresponder ao que espera deles. Pesquise-os também nos nossos comparadores, onde encontrará os resultados de testes comparativos a centenas de produtos, como telemóveis, tablets, televisorese diversos eletrodomésticos.

4. Se vai comprar comece cedo

As melhores ofertas são, por norma, as que se esgotam mais cedo. Se pretende comprar numa loja física, averigue o horário de abertura e a sua disponibilidade para a visitar nas primeiras horas do dia. Se for comprar online, bastará esperar que chegue a meia-noite.

5. Conheça as políticas de compra e devolução

Algumas lojas permitem comprar online e fazer o levantamento dos produtos numa loja física, dentro de um prazo determinado. Esta pode ser uma opção a considerar se não tem muito tempo ou quer evitar os portes de envio e a confusão causada pela grande afluência de pessoas durante a Black Friday.

Além disso, se a compra for feita online tem o direito de devolver o produto no prazo de 14 dias, salvo algumas exceções. O mesmo não acontece se comprar numa loja física, onde o comerciante não está obrigado a receber devoluções (exceto em caso de defeito, por exemplo). Neste cenário, verifique se a loja aceita devoluções e em que condições, e ainda se existem regras especiais para a devolução de produtos nos períodos de promoções.

6. Seja cauteloso

É muito fácil criar contas em redes sociais para publicitar lojas fictícias ou vender produtos contrafeitos e pirateados. Tenha cuidado com as ofertas que parecem “demasiado boas para ser verdade” e verifique bem as informações divulgadas nesses canais, para garantir que não cai em fraudes.

No que toca aos seus dados, evite dar informação desnecessária.