A bolsa portuguesa está a acentuar ganhos desde a abertura a reboque das praças da Europa. O PSI20 já ganha 1,03% para 4.460,95 pontos com um arranque em força do setor da energia, a contrariar as últimas sessões.

A Europa está a beneficiar de um fecho muito otimista ontem em Wall Street, impulsionado pelo crescimento, maior que o previsto, da economia norte-americana.

E em dia de reunião decisiva dos países exportadores de petróleo, o ouro negro recupera da queda a pique de ontem e dá um novo fôlego ao setor.

Embora ainda não se saiba se vai haver acordo para travar a produção de crude e estabilizar preços, o fator é que em Lisboa, por exemplo, a Galp crescer 2,37% para 12,505 euros e a EDP avança 1,18% para 2,724 euros.

Melhor sessão hoje, também, para a banca. Após uma recuperação ontem no setor financeiro europeu, o BCP segue, a esta hora, a valorizar 0,23% para 1,178 euros.

E porque, o índice STOXX600, que agrupa as 600 maiores cotadas europeias, fechou ontem a ganhar apoiado na recuperação não só do sector financeiro como também do retalho, hoje a Jerónimo Martins ajuda o índice português e cresce 0,87% para 15,035 euros.

Pela negativa, a Pharol volta a fazer diferença. Depois da derrapagen de mais de 6% na sessão de ontem, já perde 1,78% para 0,165 euros. 

Os investidores continuam reagir às últimas notícias sobre a empresa que é a maior acionista da brasileira Oi. É que apesar de, na segunda-feira, a Pharol ter revelado menos 60% de prejuízo no terceiro trimestre que no homólogo de 2015, também disse que vai recuperar ainda menos do que investiu em papel comercial da Rio Forte – a holding do Banco Espírito Santo que faliu.